Portador do vírus HIV mata esposa e filha a marteladas depois de estuprá-las

Portador do vírus HIV mata esposa e filha a marteladas depois de estuprá-las

Jhony Marcondes, 41 anos, que foi preso no fim da manhã desta terça-feira (22), no bairro Pedregal, em Cuiabá, acusado de assassinar a marteladas e facadas sua companheira Adriana Aparecida de Siqueira, de 41 anos, e a filha dela, Andreza Maria Vilharga da Siqueira, de 19, durante a madrugada no CPA II, afirmou que o crime foi motivado por causa de uma suposta traição por parte de Adriana.

À Polícia Militar, Jhony assumiu o crime e disse que teria estuprado Adriana antes de matá-la. O corpo da vítima foi encontrado com as calças arriadas. Jhony ainda disse cometeu o crime para se vingar de uma suposta traição. Ele também contou aos policiais que seria portador do vírus HIV e precisaria de tratamento. A PM afirmou que ele aparentava estar sob efeito de drogas.

Enquanto era levado à viatura da PM, para ser transferido à DHPP, familiares das vítimas xingavam o homem e diziam que ele destruiu duas famílias. A irmã de Adriana disse ao Olhar Direto que Jhony também já teria tentado abusar do outro filho da vítima, um garoto de 11 anos. O menino havia denunciado Jhony, o que irritou o acusado.

Por causa desta situação o garoto estava se hospedando na casa da tia e não estava com a mãe no momento do crime. Familiares também disseram que ele era usuário de drogas e já agrediu Adriana anteriormente.

Feminicídio

De acordo com dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), no período de janeiro a junho de 2017, 35 mulheres foram assassinadas em Mato Grosso. Também foram registrados 125 casos de estupro no Estado. Para denunciar casos de violência contra a mulher é só ligar para o número 180.

Veja o vídeo de Jhony sendo levado à viatura da PM:


Jovem assassinada a marteladas por padrasto tinha passado na UFMT e se preparava para nova fase da vida


Jovem assassinada a marteladas por padrasto tinha passado na UFMT e se preparava para nova fase da vida
A jovem Andresa Maria Vilharga da Siqueira, de 19 anos, que foi assassinada junto com a mãe, Adriana Aparecida de Siqueira, de 41, por Jhony Marcondes, também de 41, durante a madrugada desta terça-feira no CPA II, iria começar a cursar Arquitetura e Urbanismo na Universidade Federal de Mato Grosso. De acordo com a família, a jovem não morava com a mãe.

Leia mais:
Homem que matou mãe e filha a marteladas diz que crime foi motivado por traição; veja vídeo

A irmã de Adriana disse ao Olhar Direto, que nem sabia que Andresa estava dormindo na casa da mãe. Ela relatou que apenas o outro filho de Adriana, um garoto de 11 anos, morava na casa onde o crime ocorreu. No momento do duplo assassinato, o menino estava na casa da tia, após sofrer ameaça do padrasto. Familiares de Adriana também disseram que Andresa era uma menina muito estudiosa e tinha acabado de ser aprovada na Universidade Federal de Mato Grosso.

Adriana teria conhecido Jhony enquanto ele ainda estava preso. Por meio de um conhecido, ela começou a trocar cartas com Jhony, e quando ele foi solto começaram um relacionamento. Nenhum dos filhos ou familiares aprovava a relação. De acordo com vizinhos e parentes, Adriana era constantemente agredida por Jhony.

Andresa e Adriana foram mortas com facadas e marteladas. Os quartos da casa estavam cobertos de sangue. Elas foram assassinadas durante a madrugada e Jhony fugiu do local logo após cometer o crime. O garoto de 11 anos estava na casa da tia, porque após denunciar o padrasto por tentativa de estupro, foi ameaçado por ele.

Suspeito preso

No fim da manhã desta terça-feira (22), Jhony Marcondes foi preso no bairro Pedregal, em Cuiabá. Ele confessou o crime à Polícia e também disse que estuprou Adriana antes de matá-la. A Polícia não confirmou se Andresa também teria sido estuprada.

Jhony tem 13 passagens pela polícia, incluindo dois homicídios, estupro e duas lesões corporais. Exames ainda devem ser feitos no Instituto Médico Legal para averiguar se as duas vítimas foram estupradas

Comentários