ESCÂNDALO: De dentro da cadeia prefeita deu canetada para continuar representando todos os prefeitos de RO

Publicada em


Em ato administrativo, Lebrinha continuou no poder ao passar o cargo para um subordinado

Os novos prefeitos que assumiram o cargo este mês ficaram indignados com uma atitude tomada pela ex-prefeita Gislaine Clemente (MDB), conhecida como Lebrinha, de São Francisco do Guaporé, presa pela Polícia Federal, em setembro do ano passado, acusada de corrupção.
Gislaine, que é filha do deputado Lebrão, também flagrado pela PF recebendo propina, era presidente da Associação Rondoniense de Municípios (AROM) quando foi para a cadeia. Para continuar tendo gerência e falar em nome dos demais municípios de Rondônia, Lebrinha nomeou o diretor executivo da Arom, Roger André, como Presidente Interino, mesmo ele não sendo prefeito de nenhuma cidade do Estado.
Revoltados com a postura de Lebrinha, os novos prefeitos, associados à Arom, convocaram Assembleia Geral Ordinária para o dia 01 de fevereiro, semana que vem, para escolha da nova diretoria da Associação.
Em conversa com o Rondoniaovivo, três prefeitos do interior disseram que o ato de Lebrinha foi uma afronta aos demais colegas de Arom. Ao nomear como presidente uma pessoa que não representa nenhum município de Rondônia, Lebrinha estaria tentado garantir seu poder junto à instituição. Resta saber que outros interesses Lebrinha poderia ter ao não renunciar ao cargo logo após ter sido presa ou simplesmente passar o comando para outro prefeito que estivesse solto e não respondendo por nenhuma acusação envolvendo corrupção.
Fonte: rondoniaovivo.com