Suspeito que matou menino asfixiado é ‘muito frio e não demonstra arrependimento’, diz delegado

Publicada em


O suspeito de asfixiar e matar Wanderson Correia, de 10 anos, não demonstrou arrependimento pelo crime após ser preso pela Polícia Civil em Rolim de Moura (RO), região da Mona da Mata. O corpo do menino foi encontrado em uma casa abandonada na sexta-feira (15), já em início de decomposição.

Em uma coletiva de imprensa, o delegado Daniel Roffman falou sobre como o homem se comportou após ser ouvido na delegacia.

“É um suspeito muito frio, conhecido do meio policial, não demonstrou nenhum arrependimento. Já foi condenado por dois crimes de estupro, tem passagem por crime de furto e está aguardando uma audiência [na justiça] por tráfico de drogas em 2019”, contou Daniel.

Ainda segundo a polícia, o suspeito (que não teve sua identidade divulgada) também não tinha nenhuma relação de convívio com a família de Wanderson.

A Polícia Civil ainda aguarda os laudos da perícia para saber se o menino de 10 anos foi estuprado pelo suspeito antes de ser morto. “A intenção [do suspeito] era de abusar sexualmente da vítima”.

Confissão do suspeito

O suspeito do crime foi localizado pela Polícia Civil através de informações de uma testemunha, que um dia antes viu o suspeito abordando a criança em uma rua de Rolim.

No depoimento, o suspeito contou que abordou Wanderson e ofereceu dinheiro a ele para limpar uma casa, o que a criança aceitou. Quando chegou a residência, o homem teria convencido o menino a tirar a camisa sob a alegação que fazia calor.

Ainda segundo relatou o homem à polícia, ele teria baixado sua calça e quando a vítima percebeu que havia algo errado, tentou fugir da residência, mas foi agarrada pelo pescoço e asfixiada com a própria camisa.

Quando o corpo foi encontrado, a criança já estava há mais de um dia desaparecida.

Para a polícia, familiares disseram que o menino sumiu quando estava a caminho da casa da irmã.

O suspeito segue preso no presídio masculino de Rolim de Moura e foi indiciado por homicídio qualificado e tentativa de estupro de vulnerável.