Jaru Online
Jaru, 25 de fevereiro de 2024

Saiba tudo sobre o museu da casa de Anne Frank

Adentrar as paredes do Museu da Casa de Anne Frank é embarcar em uma jornada extraordinária pela vida e pelo legado de uma das figuras mais emblemáticas da história. 

Neste artigo, convidamos você a explorar cada canto, cada página do diário e cada lembrança preservada neste museu fascinante que testemunha os dias sombrios da Segunda Guerra Mundial. Prepare-se para uma reflexão profunda na história, na coragem e na reflexão sobre o Museu da Casa de Anne Frank.

O Diário de Anne Frank

Anne Frank, uma adolescente com talento literário excepcional, escreveu em seu diário detalhes sobre a vida no Anexo Secreto. Incluindo as cortinas que cobriam as janelas para esconder os ocupantes, o medo constante de serem descobertos, e seus sentimentos e pensamentos.

Quando o campo de concentração de Auschwitz foi fechado, Otto Frank, o único sobrevivente de sua família, recebeu o diário da filha. Percebendo que era seu desejo que o diário fosse publicado, ele o publicou em 1947.

Os escritos de Anne Frank rapidamente se tornaram conhecidos em todo o mundo. Dez anos depois, a fundação foi criada para impedir que a casa onde tudo aconteceu fosse demolida. Em 1960, foi inaugurado o museu, que preserva o Anexo Secreto da família Frank exatamente como era durante o período que ali passaram. 

O museu também abriga uma exposição sobre a vida de Anne, bem como exposições mais recentes sobre a perseguição e a discriminação de todos os tipos.

A História da Casa de Anne Frank

A narrativa da Casa de Anne Frank começa com a trajetória de uma jovem alemã de ascendência judaica que, durante a Segunda Guerra Mundial, viu sua família transferir-se da Alemanha para a Holanda para escapar da perseguição antissemita liderada por Hitler.

No entanto, com a invasão nazista na Holanda, Anne e seus entes queridos foram compelidos a buscar refúgio para preservar suas vidas. Optámos por um esconderijo singular: um anexo de aproximadamente 42 metros quadrados nos fundos do escritório onde a Empresa de Otto Frank, pai de Anne, operava. 

Essa casa improvisada serviu como abrigo para uma família desde 1942 até 1944, quando foram descobertas pela Gestapo, a temida polícia secreta nazista. 

Durante dois anos, os Frank viveram em condições extremas, enfrentando deficiência de luz solar e fazendo o possível para minimizar qualquer ruído, com a ajuda de funcionários e associados de Otto Frank, que assumiram a responsabilidade pela empresa. 

Poderiam ter resistido até 1945, o fim da guerra, e sobrevivido ao Holocausto, não fosse pela traiçoeira denúncia anônima que os convertesse ao campo de concentração de Auschwitz.

A história da família Frank, uma luta intensa pela sobrevivência em meio às atrocidades do regime nazista, ganha uma dimensão única graças ao diário meticuloso de Anne, uma jovem de apenas 13 anos na época.

Como visitar a casa de Anne Frank?

A casa de Anne Frank é um museu localizado em Amsterdã, nos Países Baixos. O local foi onde ela, sua família e outras quatro pessoas se esconderam dos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

Os ingressos para a casa da Anne Frank podem ser comprados online ou na bilheteria do museu. É recomendado comprar os ingressos com antecedência, pois o museu é muito popular e pode ficar lotado. Ele está aberto todos os dias, exceto nos feriados. Os horários de funcionamento variam conforme a época do ano.

A casa está localizada na Prinsengracht 263-267, em Amsterdã. Por estar em uma área turística movimentada e é fácil de encontrar. A visita ao local é uma experiência única e emocionante. Os visitantes podem ver o espaço onde Anne Frank e sua família se esconderam, e aprender sobre as condições difíceis em que eles viveram.

A visita começa com uma apresentação audiovisual que conta a história dela e de sua família. Em seguida, os visitantes são guiados, onde podem ver os quartos, a cozinha e o banheiro onde ela e sua família viveram por dois anos e meio.

Aqui estão algumas dicas para aproveitar ao máximo sua visita:

  1. Compre os ingressos com antecedência;
  2. Chegue cedo para evitar as multidões;
  3. Use sapatos confortáveis, pois você terá que subir e descer escadas;
  4. Não se esqueça de sua câmera;

Compartilhe a inspirada jornada de Anne Frank e a preservação de sua memória. Envie esse artigo para amigos e familiares que gostariam de realizar esse passeio!

 


COMPARTILHAR