Lombada é construída na BR-364 após morte de estudante atropelada

Lombada é construída na BR-364 após morte de estudante atropelada

Uma lombada foi construída neste sábado (11) no perímetro urbano da BR-364, em Porto Velho, próximo a faixa de pedestres onde duas adolescentes foram atropeladas por um caminhão caçamba. O acidente ocorreu na última quarta-feira (8) e uma das jovens morreu no local. Depois do ocorrido, moradores já fecharam a rodovia por duas vezes em protesto contra a falta de sinalização e segurança aos pedestres.

A lombada, segundo o supervisor de operações rodoviárias do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Cláudio André Neves, é uma das medidas para assegurar a segurança dos pedestres que precisam fazer a travessia naquele trecho da rodovia.

Lombada é cosntruída 4 dias depois da morte de uma estudante que foi atropelada quando estava sobre a faixa de pedestre na BR-364 (Foto: Toni Francis/G1)Lombada é construída 4 dias depois da morte de
uma estudante que foi atropelada (Foto: Toni
Francis/G1)

Conforme o supervisor, está em fase de elaboração o edital de licitação para a construção de passarelas em pelo menos mais dois trechos da BR-364.

“Enquanto isso, construiremos mais lombadas, instalaremos lombadas eletrônicas e recolocaremos a sinalização que foi retirada pela empresa de pavimentação”, explicou Neves.

Para que não ofereça risco aos motoristas e motociclistas, a lombada deve ser pintada com listras prestas e amarelas. “A empresa de pintura deve começar a trabalhar neste domingo”, salientou Cláudio André.

Acidente
Duas adolescentes, ambas de 15 anos, foram atropeladas por volta das 13h, na BR-364, no perímetro urbano de Porto Velho, na quarta-feira. Por causa da batida, uma das meninas faleceu no local e a outra foi levada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) em estado grave à unidade de saúde.

Protestos
Após o acidente, na noite de quarta-feira, moradores realizaram um protesto, na BR-364. As duas vias da rodovia foram fechadas e diversos pneus foram queimados, impedindo o trânsito no local. Na ocasião, os manifestantes protestavam contra a falta de sinalização no local.

Por disso, um grande congestionamento se formou com longas filas de veículos. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) esteve no local para controlar e conversar com a população que fazia parte do protesto.

Manifestantes colocaram fogo em pneus para impedir o avanço de carros e motos; a interdição durou pouco mais de uma hora, segundo a PRF (Foto: Toni Francis/G1)Manifestantes colocaram fogo em pneus para impedir o avanço de carros e motos; a interdição durou pouco mais de uma hora, segundo a PRF (Foto: Toni Francis/G1)

Na tarde da última sexta-feira (10), um grupo de moradores do Bairro Fortaleza fechou a rodovia para exigir melhoria na infraestrutura e mais segurança. Por causa do bloqueio, filas de carros, de mais de 4 quilômetros, se formaram nos dois sentidos da rodovia.

Os manifestantes mantiveram a rodovia fechada por mais de uma hora e só liberaram o tráfego depois da promessa de uma reunião com o Dnit. O encontro foi agendado para esta segunda-feira (13), segundo prometeu aos manifestantes o inspetor de delegacia Alair Saraiva, da Polícia Rodoviária Federal.

1-dsc_0016

Comentários