Jaru: Policia Ambiental detém homem com 17 pássaros aprisionadas em gaiolas e apreende espingarda irregular

Publicada em


Uma equipe de fiscalização e repressão aos crimes ambientais, durante patrulhamento no final da tarde de ontem (11), na Rua João Batista Figueiredo, município de Theobroma, encontrou em cativeiro diversos pássaros da fauna brasileira e apreendeu uma espingarda irregular.

As aves e a arma, estavam no imóvel de um senhor que informou não possuir autorizações legais emitidas pelo órgão ambiental competente, e negou comercializar os animais.

Os policiais ambientais encontraram 17 pássaros da fauna silvestre em gaiolas de madeiras, sendo: 09 Curiós, 02 Maritacas, 03 Coleiras e 03 Canários da Terra.

Os pássaros estavam acomodados em 15 gaiolas, distribuídas em vários cômodos da residência.

Durante as buscas foi observado sobre a cama, 04 cartuchos de espingarda calibre 32, deflagradas. Sendo assim intensificado as busca sendo localizada, atrás de uma caixa de som, uma espingarda calibre 32, sem marca e números aparentes, desmuniciada.

Dando continuidade nas buscas foram localizados dentro da gaveta do guarda roupas, mais 23 cartuchos calibre 32 intactos, 09 cartuchos calibre 32 deflagrados e uma cartela com várias espoletas, utilizadas para recarga de cartuchos.

Foi observado que dois pássaros (maritaca) estavam com as asas cortadas, caracterizando assim crimes de maus tratos.

Diante dos fatos foi dada voz de prisão ao morador, por maus tratos a animais e posse ilegal de arma de fogo

O infrator foi conduzido a UNISP de Jaru, onde foi entregue, juntamente com a arma de fogo e as munições.

Os pássaros foram devolvidos a natureza e duas maritacas, devido estarem sem condições de retorno ao seu habitat natural, foram deixadas como fiel depositária, a uma Médica veterinária, da SEDAM, em Ji-Paraná.

Por manter 15 aves ilegalmente em cativeiro, o homem foi multado em R$ 8.500,00 e mais R$ 1.500,00 por cada uma das duas aves que tiveram as asas cortadas, totalizando R$ 11.500,00.

Para ser liberado o conduzido pagou na UNISP, fiança de R$ 1.000,00.