Jaru: Mais um raio atinge o perímetro urbano, INPE registra quase 100 raios por ano na cidade

Uma chuva acompanhada de raios e trovões, caiu na tarde desta quarta-feira (10) em Jaru, e novamente foi registrado uma descarga elétrica no perímetro urbano da cidade.

Pelos menos dois raios atingiram árvores na cidade nos últimos 15 dias, o primeiro ocorreu em 25 de setembro, ocasião em que a descarga atingiu um pé de coco na rua Plácido de Castro, a árvore se incendiou e moradores tiveram equipamentos eletrônicos danificados.

Ontem no período da tarde, outro raio caiu, e novamente atingiu um pé de coco, desta vez no setor 05, ninguém se feriu.

De acordo com Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) o município de Jaru possui uma densidade de descarga de 9,6 raios por Km²/ano. Cidades com densidades considerada baixas possuem registro inferiores a 01, e altas possuem densidades superior a 15.

Uma das maiores densidades de descarga elétrica por raio no Brasil, ocorre na cidade de Humaitá/AM, cidade a cerca de 500 km de Jaru, o índice lá é de 31,2 por Km²/ano.

De acordo com os especialistas do instituto, a segunda maior incidência de morte por raios, pasmem! ocorrem dentro de casa, cerca de 18% dos óbitos são registrados nestas condições, as maiores vítimas são pessoas em atividades rurais 25%.

 

Qual a velocidade de um raio?

Câmeras fotográficas ultra-sensíveis utilizadas por pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em São José dos Campos, São Paulo, conseguiram documentar em 2007 detalhes da formação de um raio que chegou ao solo a uma velocidade de 1.980 km/seg.

 

Saiba como se proteger dos raios

O Brasil, por ser o maior país da região tropical do planeta, é o campeão mundial na incidência de raios, com 50 milhões de casos por ano, de acordo com o Grupo de Eletricidade Atmostérica (Elat) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). De cada 50 mortes por raios em todo o globo, uma acontece em território nacional. Esta época do ano, de calor e tempo úmido, facilita a formação dos raios, descargas elétricas de grande intensidade formadas nas nuvens. Apenas na madrugada de segunda-feira, 3.000 raios atingiram a capital paulista. A cada verão, cerca de 100 pessoas morrem atingidas por raios no país, de acordo com estimativas do Inpe. Só em 2014, até o meio de novembro, 84 pessoas foram mortas em consequência de descargas elétricas.

Locais abertos como praias, estacionamentos, campos de futebol ou quadras esportivas costumam ser regiões especialmente propícias aos raios, por não apresentarem obstáculos entre as nuvens carregadas e o solo. “Em regiões planas e descobertas, o raio se conecta ao ponto mais alto da superfície, que pode ser um guarda-sol ou uma pessoa”, explica o geofísico Marcelo Saba, pesquisador do Grupo de Eletricidade Atmostérica (Elat) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). “Por isso, a primeira atitude a tomar é, assim que escutar trovões, procurar abrigo, de preferência uma edificação com estrutura sólida que barre a descarga elétrica.”

Alta energia – O raio tem uma energia que chega a 30.000 ampères, cerca de 1.000 vezes a intensidade de um chuveiro elétrico e o suficiente para iluminar uma casa durante um mês. Quando ele chega ao solo, espalha-se pela superfície e atinge quem está próximo.

“É raro que alguém seja diretamente atingido por um raio, normalmente, recebemos a carga do solo ou de objetos como árvores ou veículos, que saltam para nós”, explica Saba. “A melhor dica é fugir dos raios, escondendo-se em construções. Se, depois de uma meia hora, a chuva continuar sem trovões, é possível voltar para os espaços abertos. Mas é sempre bom identificar algum local seguro e sólido para se proteger no caso de os raios voltarem.

Veja abaixo como se proteger dos raios:

Qual a temperatura de um Raio?

A temperatura é superior a cinco vezes a temperatura da superfície solar, ou seja, a 30.000 graus Celsius.

 

Quantos volts tem um raio?

 

Um raio tem uma voltagem de 100 milhões a 1 bilhão de volts, já a sua corrente é suficientemente para fazer com que 30 mil lâmpadas de 100 W funcionem ao mesmo tempo, e em alguns casos a corrente do raio chega até 30 mil amperes.

 

Comentários