Jaru Online
Jaru, 17 de julho de 2024

Jaru: Bebê de 2 meses da entrada no HM, porém não resiste e morre vítima de Influenza B

Ilustrativa

 

Um bebê do sexo masculino que completaria 2 meses hoje (14), veio a óbito no Hospital Municipal de Jaru, no final da tarde desta quinta-feira (13), vítima de complicações respiratórias, causadas possivelmente pelo vírus Influenza B.

A criança veio encaminhada do município de Governador Jorge Teixeira, e deu entrada a unidade local, já com seu quadro de saúde bastante comprometido. A equipe médica lutou para salvá-la, porém não obteve sucesso na reversão do quadro.

Procurado, o diretor da unidade Diego Pontes, lamentou a perda e ressaltou que mesmo que a unidade esteja muito bem preparada para salvar vidas, há casos que infelizmente não é possível: “Mesmo nossa equipe estando preparada para atender prontamente nossos pacientes e salvar vidas, há casos tão complexos que mesmo fazendo nosso melhor, e dando todo suporte necessário, não podemos evitar os desígnios de Deus. Lamentável o ocorrido de hoje, todos ficaram bem tristes, pois a maioria dos nossos profissionais têm filhos”, disse o diretor que também ressaltou, que no hospital não faltou qualquer tipo de assistência a este bebê.

 

Influenza B

 

A Influenza B é o segundo tipo de gripe mais comum para a população humana, causada pelo vírus da Influenza do tipo B, que se divide em duas linhagens principais, a Yamagata e a Victoria.

 

Principais tipos de influenza

De modo geral, os principais tipos de Influenza que atingem os humanos são das classes A e B, ambas consideradas capazes de causar epidemias.

O tipo A se divide de acordo com a quantidade de proteínas que compõem seu código genético, existindo os subtipos H5N1, H1N1, H3N2, e assim por diante. Esse fator contribui para uma maior possibilidade de troca genética entre as cepas, aumentando sua circulação.

Esse tipo de Influenza também é capaz de atingir uma maior variedade de espécies, tais como aves, porcos e bois, que são criados para a alimentação humana e têm populações bem numerosas, tudo favorecendo o surgimento de variantes e aumentando o risco de epidemias e pandemias.

Já a Influenza B tem menor potencial pandêmico, já que, além dos humanos, ela costuma ocorrer apenas em algumas espécies de focas, o que reduz a sua circulação e o número de indivíduos que podem contrair e propagar esse tipo de patógeno.

A subdivisão desse tipo é separada em linhagens, como a B/Yamagata e a B/Victoria. Os vírus da Influenza B apresentam quatro tipos de proteínas em seu revestimento, ao contrário das duas que temos no tipo A.

Mesmo com o menor risco, também é relevante tomar cuidado com a Influenza tipo B, pois ela pode ser responsável por aproximadamente um terço dos casos de gripe em uma temporada, além de apresentar a mesma capacidade de causar complicações e até fatalidades.

Quais são os sintomas da Influenza B?

Agora que já sabemos o que é a Influenza tipo B, devemos levar nossa atenção para quais são os sintomas causados por essa infecção respiratória. Nesse caso, podemos afirmar que o quadro não costuma ter grandes variações entre os tipos de gripe.

Isso significa conhecer os sintomas mais comuns da gripe já é o bastante para conhecer quais os sintomas da Influenza B, uma vez que não temos informações conclusivas para fazer a ligação entre esse tipo de gripe e uma variação sintomática específica.

Dessa forma, uma pessoa gripada costuma apresentar o seguinte quadro:

  • febre alta, acima de 38 ºC;
  • dor de cabeça e no corpo;
  • garganta inflamada e dolorida;
  • tosse;
  • coriza;
  • nariz entupido;
  • espirros;
  • fadiga;
  • perda de apetite.

Para pessoas mais sensíveis ou com a imunidade enfraquecida, como idosos, crianças e gestantes, a intensidade dos sintomas pode ser maior. Além disso, pode ocorrer também náusea, vômito, diarreia e tontura.

Como se transmite Influenza B?

De modo geral, a transmissão da Influenza B ocorre da mesma maneira que outros tipos de gripe.

Assim, a principal forma acontece pela inalação de gotículas de saliva contaminada por um indivíduo saudável, sendo que esses aerossóis costumam ser dispersos no ambiente sempre que a pessoa gripada fala, respira, tosse ou espirra.

Como método de transmissão secundária temos o contato com superfícies ou objetos contaminados.

Nesse caso, a saliva contaminada e o vírus podem ficar depositados em itens como copos, talheres, maçanetas e interruptores, chegando depois às mãos de uma pessoa, que pode levá-las ao rosto e acabar se contaminando.

Dicas para prevenção da gripe:

  1. vacinação: a vacina da gripe é manipulada anualmente para desenvolver a imunidade das pessoas contra os tipos de Influenza em maior circulação e também deve conter elementos para combater a manifestação das variações do tipo B;
  2. higiene pessoal: lavar as mãos com frequência, usar álcool em gel e evitar o compartilhamento de objetos são maneiras de reforçar os hábitos de higiene e evitar a contaminação;
  3. fortalecimento da imunidade: praticar atividades físicas, manter uma alimentação balanceada, domrir bem e beber bastante água são formas de fortalecer a imunidade e assegurar o bom funcionamento do organismo, evitando doenças em geral.

 


COMPARTILHAR