Governo do Estado intensifica ações para a economia no consumo de energia

Trabalhando em ações que visam a economia do Estado, a Superintendência de Gestão dos Gastos Públicos Administrativos (Sugesp) tem intensificado ainda mais o controle dos gastos essenciais. Os últimos dados informam a economia de 21% no consumo de energia em relação ao trimestre anterior.

De acordo com o Administração do Palácio Rio Madeira (ADPRM), foram implementadas diversas medidas para reduzir os encargos de energia elétrica, indo na contramão de alguns fatores externos como o reajuste tarifário na ordem de 27,12%, implementado a partir de 13 de dezembro de 2018, que só foi incluído a partir de fevereiro de 2019, além do fator clima onde fora registrado o maior índice de temperaturas superiores a 35ºC no período de julho a setembro deste ano.

Segundo Flavio de Oliveira Cordeiro, administrador do Palácio, para a economia existir, várias medidas de controle e fiscalização foram reforçadas, entre elas a alteração no horário de funcionamento das 1.200 unidades evaporadoras usadas para climatizar os ambientes do PRM.

Anteriormente, o horário de funcionamento era de 7h às 13h45. Agora, metade das unidades é desligada 13h30 e outra 13h45. “Com esse simples procedimento, em um período de 30 dias, alcançamos uma redução no tempo de funcionamento na ordem de 450 minutos, ou seja, 7 horas e 30 minutos a menos de tempo de funcionamento de 600 unidades evaporadoras. Significa dizer que metade das máquinas do PRM deixaram de funcionar e consumir energia elétrica durante um dia inteiro de trabalho. Trabalhamos com a expectativa de alcançarmos uma redução no consumo de energia elétrica em aproximadamente 18% em relação ao mês de setembro. O resultado obtido com a adoção dessa medida foi na ordem de 21,12% no valor total da fatura do mês de outubro, o que corresponde, em valores reais, a uma economia de R$ 86 mil aos cofres públicos”, explicou Flávio.

Além da fiscalização diária realizada pelos fiscais internos, estão sendo implementadas campanhas de endomarketing para a conscientização dos servidores.

Flávio lembrou que a estrutura do Palácio Rio Madeira, por si, já possui sistemas que ajudam nessa economia. Os vidros, por exemplo, têm isolamento térmico que ameniza os raios solares no interior do PRM, isso significa menos esforço dos ares-condicionados e iluminação, que também contam com um sistema avançado de controle através de automação remota. É por meio deste sistema que é gerenciado todo o planejamento de cronograma de horário de funcionamentos do ar e da luz das unidades internas e externas, possibilitando a programação desses equipamentos em todas as secretarias de forma isolada.

Para o administrador, a redução no consumo de energia elétrica impacta positivamente não apenas os cofres públicos, mas, sobretudo, o meio ambiente.

“Posso afirmar que a Sugesp está comprometida em empreender esforços contínuos no sentido de otimizar os serviços, reduzindo as despesas desta instituição e contribuindo para a preservação do meio ambiente”, finalizou Flávio.

Para o coronel Carlos Lopes, superintendente da Sugesp, as medidas além de acompanharem a meta de redução dos gastos estabelecida pelo governador coronel Marcos Rocha no início do ano, auxiliam na economia de uma forma geral. “Quando há economia dos elementos de despesa de consumo necessários a médio e longo prazo, além do direcionamento dos valores para outras áreas essenciais, há uma economia maior a nível de governo como, por exemplo, o cumprimento do teto dos gastos”, disse Carlos.

O superintendente pediu ainda colaboração dos servidores do governo para medidas simples como o uso consciente de torneiras, luzes, ar e o apoio para firmar todas as medidas adotadas pelo governo.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Você também pode se interessar

Jaru Online – 2019 – Todos os direitos reservados