Jaru Online
Jaru, 23 de junho de 2024

Energia solar em residências triplica e chega a 1,7 milhão de unidades consumidoras

energia solar em residências, no Brasil, avança rapidamente e triplicou em dois anos, pulando de 565 mil em outubro de 2021 para 1,7 milhão no mesmo período deste ano. Durante esse tempo, a potência instalada ficou próxima da capacidade da usina de Itaipu (14 GW). Dessa forma, passou de 3,5 GW para 12 GW.

Os dados do avanço da energia solar em residências foram disponibilizados pela ABSOLAR e incluem módulos fotovoltaicos instalados em casas e edifícios de apartamentos. Além disso, englobam a energia solar por assinatura. Portanto, desde janeiro a outubro deste ano, os investimentos injetados nessa modalidade de produção de energia aumentaram de R$ 44,3 bilhões para R$ 60,5 bilhões.

Aumento da energia solar em residências – fatores determinantes

energia solar em residências

O aumento da adesão à energia solar em residências é atribuído a determinados fatores, incluindo a redução dos preços dos geradores fotovoltaicos nos últimos anos. Além disso, a praticidade de se usar a luz solar como fonte de energia interfere nas escolhas da população. Essa facilidade pode ser obtida por meio de instalação de módulos fotovoltaicos nos telhados das edificações ou por modelos de assinatura.

O mercado atual conta com três alternativas básicas para incluir energia solar em residências. É possível instalar equipamentos fotovoltaicos nos telhados, em uma propriedade rural, aproveitando na casa da cidade ou comprar energia solar com auxílio da concessionária local, por meio de assinatura.

Na sequência, é enviada para a rede da concessionária, de onde a distribuição é feita para as residências dos consumidores. Dessa forma, os clientes pagam um valor mensal fixo, a partir de R$ 300,00 e uma taxa mínima para a concessionária.

Mas, você sabia que a energia solar por assinatura também dispensa a instalação de painéis solares no telhado do imóvel para geração de energia? Por isso, trouxemos nesse artigo a entrevista que Tatiana Fischer, diretora de marketing da Aldo Solar, concedeu ao Valor Econômico.

A partir de um sistema de assinatura por meio de créditos mensais, algumas usinas geram energia solar e a vendem em forma de produto. Os clientes, então, podem ser constituídos por empresas ou residências. Oficialmente, o sistema é conhecido por geração solar compartilhada e se tornou possível no Brasil desde 2015, depois de uma resolução criada pela ANEEL.

Energia solar nas residências – principal motivo

energia solar em residências

O aumento do consumo de energia solar nas residências está relacionado à alta da conta de energia. Isso leva o consumidor a procurar por alternativas que minimizem o impacto em seu orçamento. Segundo entendimento, o público parece notar que agora é uma boa hora para aderir à solar por assinatura. E a vantagem dessa modalidade é o contrato fixo, previsível e imune às bandeiras tarifárias.

Conforme muitos já sabem, as bandeiras são valores extras adicionados à conta de luz nos momentos de crise, como secas. Nesses períodos, o país consome mais energia termelétrica e menos hidrelétrica, o que aumenta o custo total de geração.

A maioria das instalações fotovoltaicas geralmente pertencem aos proprietários de imóveis que vivem neles. E isso acontece como medida para reduzir a conta de energia, o que gera uma economia que pode chegar a 90%.

Nos imóveis ainda em construção, é comum que os projetos já contem com uma futura instalação de painéis solares. Isso facilita sua fixação no telhado e a passagem dos cabos. Projetos desse tipo normalmente são os de alto padrão. É preciso se certificar se há necessidade de realizar algum tipo de obra que compense o peso dos módulos ou a instalação de estruturas para fixar os painéis. Para tanto, é necessário avaliar qual é o tipo de telha e o estado da construção.

Dados extraídos do mercado demonstram que o custo médio para instalar energia solar nas residências brasileiras fica em torno de R$ 14.720,00. Isso considerando os equipamentos e a instalação.

No entanto, mesmo quem decide adotar a energia solar não está livre da rede elétrica da distribuidora, uma vez que ela é vital para garantir o funcionamento do inversor solar. É ele o responsável pela conversão da energia do painel em eletricidade para abastecer o imóvel e garantir o fornecimento de luz à noite ou em outras situações que impeçam a produção de energia pelos painéis.

energia solar em residências

Cada dia mais adeptos percebem os benefícios da energia solar em diversos aspectos, da economia à sustentabilidade. Venha você, também, fazer parte desse novo mundo. Continue aqui no blog e saiba tudo o que acontece no universo da energia solar.

Você sabia que o mercado oferece linhas de financiamento específicas para a adesão às energias renováveis? Alguns exemplos de instituições são o Santander e a BVque oferece financiamento inteligente e totalmente digital.

Enquetes

Em qual destes nomes de pré-candidatos você votaria para prefeito de Jaru nas próximas eleições?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

COMPARTILHAR