Ativista denuncia criação de gado em cima de cemitério indígena em Rondônia

Publicada em


Txai Suruí, indígena e ativista de Rondônia, denunciou nas redes sociais na última quinta-feira (25) a invasão, queimadas e desmatamento de parte da terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau. Segundo a jovem, os invasores destruíram um antigo cemitério indígenas para criar gado.

Na denúncia ela diz que um incêndio foi registrado pelo satélite da Nasa em setembro deste ano e o fogo tomou uma proporção tão grande que se tornou perceptível mesmo para os povos indígenas que vivem em aldeias distantes.

Alguns dias depois, a ativista juntamente com uma equipe de monitoramento da Associação Jupaú se deslocou até a área do incêndio para apurar os estragos. As fotos que Txai publicou mostram uma área desmatada, outras com marcas do fogo e uma criação de gado no local onde era um cemitério indígena.

Segundo a mãe de Txai e presidente da Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé, Ivaneide Bandeira, o cemitério para os povos indígenas é um local sagrado e o cenário de destruição encontrado chocou aqueles que vivem terra Uru-Eu-Wau-Wau.

“Estão desmatando, queimando e colocando gado dentro, o que para os indígenas é pisotear a vida dos ancestrais deles. É como se alguém fosse lá no Cemitério dos Inocentes [cemitério histórico de Porto Velho], tocasse fogo em tudo e colocasse boi em cima. Ninguém ia gostar”, comenta.

Após o ocorrido, a Kanindé diz que entrou em contato com a Fundação Nacional do Índio (Funai) para relatar o caso.

O g1 entrou em contato com a Funai para saber se há investigações sobre o caso, mas até a publicação desta reportagem não obteve retorno.

Quem é Txai Suruí

Txai Suruí, ativista de 24 anos, faz discurso na abertura da COP-26

Filha de uma famosa ativista pelos direitos dos indígenas e um cacique, Txai Suruí acompanhou desde cedo a luta dos pais pela proteção da terra onde vivem. A jovem de 24 anos cresceu na reserva 7 de Setembro, em Rondônia, uma área sob ameaça de garimpo ilegal.

Na Conferência da Cúpula do Clima (COP26), diante de líderes mundiais como o premiê britânico, Boris Johnson, e o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, Txai discursou e cobrou participação de indígenas nas decisões da cúpula do clima e lembrou o assassinato do amigo Ai Uru-Eu-Wau-Wau, que lutava contra extração ilegal de madeira na floresta amazônica.

Após o discurso o nome da líder indígena ganhou repercussão mundial. Ela já protestou junto à ativista Greta Thunberg contra as mudanças do clima em Estocolmo, na Suécia e na última quinta-feira (25) teve uma foto sua publicada no Instagram de Emma Watson que é engajada nas causas ambientais e atriz conhecida por interpretar Hermione na saga de filmes Harry Potter.

Emma Watson posta foto de Txai Suruí, indígena brasileira — Foto: Reprodução/Instagram

Emma Watson posta foto de Txai Suruí, indígena brasileira — Foto: Reprodução/Instagram