Três pessoas são presas por desacato, ameaça e resistência em Ouro Preto

Publicada em


Três pessoas, sendo um menor de 17 anos, e outros dois de 21 e 23, foram presas pela Polícia Militar na manhã deste domingo (22), após terem desacatado e ameaçado a guarnição, além de cometerem o delito de resistância. O fato ocorreu nas avenidas XV de Novembro e Daniel Comboni, bairro Jardim Tropical, no centro da Estância Turística de Ouro Preto do Oeste.

A polícia relatou que recebeu uma denúncia informando que havia três pessoas quebrando as plantas no canteiro central na avenida XV de Novembro, causando danos ao patrimônio público, sendo repassado aos policiais as características dos três suspeitos.

Mediante as características, os policiais rapidamente localizaram os suspeitos caminhando pela avenida Daniel Comboni. Ao serem abordados, dois deles passaram a esboçar reação, recusando-se a se submeterem ao procedimento sob a alegação de que eles não eram vagabundos e disseram para a guarnição abordar vagabundos e, ato contínuo, xingou os militares.

Consta no boletim de ocorrência que os policiais, mesmo diante de várias tentativas para acalmar os ânimos do suspeitos para poder liberá-los, os três insistiam em xingar os militares com palavras de baixo calão.

Em seguida, ao solicitar o documento de um dos abordados para poder identificá-lo, o mesmo disse que era maior de idade e que não estava com os documentos. Porém, na delegacia foi constatado tratar-se de um menor de 17 anos. Após a abordagem e revista pessoal, foi dada voz de prisão aos três suspeitos, sendo todos conduzidos à Unisp.

Ainda segundo a polícia, já na Unisp o menor passou a fazer ameaças dizendo que pegaria a arma que o policial estava usando para atirar contra os componentes da guarnição. E que era para os militares enfiarem as fardas no cu, vindo a xingá-los de bando de filhos da puta.

A PM narrou ainda que o suspeito de 23 anos também proferiu ameaças e desacato no mesmo tom que o menor de idade, além de terem se alterado e resistido fisicamente à ordem para se sentarem no banco, onde esboçaram reações físicas contra os policiais.

Segundo os militares, o menor arremessou seu boné em direção à guarnição, sendo neste instante necessário contê-los e detê-los em ambientes separados. Logo em seguida, foi registrado o boletim de ocorrência para que sejam tomadas as devidas providências.

Consta na ocorrência que o menor de idade apresentava sangue em suas vestes e possuía uma lesão no dedo da mão esquerda. De acordo com o jovem, foi causado por uma garrafa que quebrou.