Secretário admite ser difícil prever quando será o pico do Coronavírus em Rondônia

Publicada em


O secretário de Estado da Saúde Fernando Máximo admitiu durante coletiva realizada na manhã desta quinta-feira (21) que é difícil avaliar quando Rondônia entrará na fase crítica do Coronavírus, o chamado pico da doença. “Nós estamos em uma curva ascendente. É difícil dizer quando será o pico porque depende de vários fatores e um deles é a educação da população. Se as pessoas fizerem o recomendado, esses casos começam a diminuir, mas se não houver uma conscientização o número pode continuar alto”, explicou.

Questionado se as medidas de contenção determinadas pelo decreto que instituiu o Distanciamento Social Controlado estão surtindo efeitos, Fernando Máximo disse que a população tem melhorado em relação ao distanciamento. “Nos últimos dias nós percebemos uma melhora, mas infelizmente tem uma parte da população que não cumpre, não quer usar máscara, manter o distanciamento e isso é muito ruim porque mais gente pode se infectar. Precisamos que todos continuem seguindo as orientações básicas de saúde”, orientou.

Fernando Máximo anunciou a capacitação dos profissionais de saúde das redes estadual e municipais para o enfrentamento à Covid-19. Ele informou ainda que Rondônia ainda não entrou no pico da doença.

Segundo ele , esse é um projeto do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) através do projeto Pases de apoio às secretarias estaduais de saúde e aos hospitais de excelência do Brasil.

Os profissionais de saúde participarão de uma capacitação multiprofissional de saúde no manejo de ventilação mecânica do paciente com a Covid-19. O curso tem duração de 30 dias.

Responsável pelo treinamento, a enfermeira instrutora do Hospital do Coração (Hcor) de São Paulo, Tatiana Yonekura, disse que a capacitação dos profissionais começa nesta quinta-feira. “Esse trabalho visa capacitar esses servidores para realizar uma assistência respiratória com segurança e qualidade desde a entrada do paciente na unidade hospitalar”, explicou.

A instrutora disse ainda que dois fisioterapeutas serão contratados e treinados para que possam multiplicar o conhecimento no local de trabalho. “Nós esperamos que no final dessa capacitação, haja uma melhora no cuidado dos pacientes”, disse Tatiana Yonekura.

fonte: rondoniagora