Quase 40 mil pessoas ainda podem sacar dinheiro de cotas do PIS em Rondônia

Publicada em


Mais de 38 mil pessoas, que têm direito às cotas do PIS-Pasep, ainda podem sacar o dinheiro em Rondônia. Ao todo cerca de R$ 69 milhões estão disponíveis e, segundo a Caixa Econômica Federal (CEF), não têm prazo final para serem retirados.

Os saques de até R$ 3 mil podem ser feitos com o Cartão do Cidadão e a Senha Cidadão nos terminais de autoatendimento, Lotéricas e correspondentes Caixa Aqui com documento de identificação oficial com foto.

Acima de R$ 3 mil, e para quem não possui Cartão do Cidadão e Senha, os valores devem ser sacados nas agências, apresentando documento oficial de identificação com foto.

Em todo o Brasil, mais de 9 milhões de pessoas ainda podem retirar o benefício, com mais de R$ 17 bilhões disponíveis para saque.

Fundo PIS-Pasep

O Fundo PIS-Pasep é uma modalidade do benefício diferente do abono salarial PIS-Pasep. Esse fundo é pago somente uma vez, ou seja, uma vez retirado o dinheiro por quem tem direito, o saldo é zerado. Já o abono salarial é pago todos os anos para o trabalhador com carteira assinada que tenha recebido até dois salários mínimos por mês.

Tem cotas do Fundo PIS-Pasep somente quem trabalhou com carteira assinada na iniciativa privada ou foi servidor público civil ou militar somente entre 1971 e 1988.

Isso porque, naquele período, as empresas e órgãos públicos depositavam dinheiro no fundo em nome de cada um de seus funcionários. E cada um era dono de uma cota nesse fundo. Mas o saque só podia ser feito em caso de aposentadoria, doença grave ou ao completar 70 anos.

A partir de outubro de 1988, mudou a forma de pagamento do PIS-Pasep, que vigora até hoje. Mas muitos beneficiários ainda não fizeram a retirada de suas cotas devido aos critérios estabelecidos na época. Assim, muitos beneficiários não sabem desse direito, incluindo herdeiros desses cotistas que podem sacar o dinheiro.

O saque sempre foi autorizado por cotistas que se enquadram os seguintes critérios:

  • Idade a partir de 60 anos
  • Aposentadoria
  • Invalidez (inclusive do dependente)
  • Morte do cotista (habilitando o herdeiro a sacar)
  • Algumas doenças graves, como câncer, HIV, Parkinson e tuberculose (incluindo o dependente)