Saiba quais são as vacinas que estão sendo aplicadas no Brasil contra COVID-19

Publicada em


CORONAVAC: A PRIMEIRA LIBERADA E APLICADA NO BRASIL

Foi desenvolvida pela china. No meio do ano passado, o Instituto Butantan se tornou parceiro para testar e fabricar  no Brasil. É uma vacina de vírus vivo inativado.

Eficácia: O estudo que justificou a liberação no nosso país demonstrou eficácia de 50,7% em prevenir infecções sintomáticas. Na vida real, tem se mostrado altamente protetora contra caso casos graves e mortes.

Reações: Reações adversas são comuns em qualquer tipo de vacina e não tem sido diferente no imunizante contra o novo coronavírus. Especialistas destacam que, apesar de serem desagradáveis os sintomas, os benefícios da vacina são superiores ao mal-estar momentâneo que o imunizante pode causar.

Como deve ser tomada: Duas injeções com intervalo de duas a quatro semanas.

 

Comirnaty: a vacina high-tech da Pfizer

Essa segunda empresa, oriunda da Alemanha e até então pouco conhecida,

Como funciona: É uma vacina de RNA mensageiro. Ela usa o próprio corpo para fabricar o antígeno (a parte do vírus que é apresentada ao sistema imune pelas vacinas).

Eficácia: Demonstrou 95% de eficácia em prevenir casos confirmados de Covid-19.

Como deve ser tomada: Duas doses com intervalo maior ou igual a 21 dias.

Reações adversas: As mais relatadas são dor e inchaço no local da injeção, cansaço, dor de cabeça e nas articulações, febre, calafrios e diarreia.

 

AstraZeneca: Da Inglaterra para o Rio de Janeiro

Tudo começou na Universidade de Oxford, que se aliou à farmacêutica anglo-sueca AstraZeneca para escalonar a produção do imunizante. Ano passado, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) firmou acordo para e para envasar as doses no Brasil. A transferência de tecnologia, que permitiria a produção do zero aqui, deve ser formalizada em breve.

Eficácia: Cerca de 70% nos estudos que levaram à aprovação, variando entre 62 e 90%. E em certeza de 90% após a segunda dose.

Reações adversas: As mais comuns são dor, calor, coceira e hematomas no local da picada. Febre, dor no corpo, mal-estar e cansaço surgem em até 20% dos imunizados com a fórmula. É uma indisposição leve e transitória, que traz desconforto, mas se resolve espontaneamente em cerca de 48 horas.

Como deve ser tomada: Duas doses, com intervalo entre quatro e 12 semanas.

 

Sputnik

A Gam-Covid-Vac Lyo é uma vacina vetorial, semelhante às vacinas da AstraZeneca e da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson. As vacinas de vetor viral são mais fáceis de manejar do que as vacinas de RNA, pois podem ser armazenadas em temperaturas de geladeira comum. Com uma vacina vetorial, vírus inofensivos, como vírus inativos de resfriado, transportam para o corpo as instruções de montagem para proteínas spike, com as quais o patógeno Sars-Cov-2 se fixa em células humanas. O corpo da pessoa vacinada reconhece o material genético inserido como um corpo estranho e forma anticorpos e células T específicas – ambos importantes para o sistema imunológico.

Como deve ser tomada: usa apenas uma dose

Eficácia: possui uma eficácia de 79,4%, um número muito próximo dos 80% alcançados com o esquema original.

Reações: Não foi relatado nenhuma relação.

 

jansson (Ainda não disponivel no Brasil)

Do grupo Johnson & Johnson, a vacina do laboratório Janssen é aplicada em apenas uma dose, mas ainda não está disponível no Brasil. Assim como o imunizante da Astrazeneca, também se utiliza da tecnologia de vetor viral, baseado em um tipo específico de adenovírus que foi geneticamente modificado para não se replicar em humanos.

Intervalo de doses: Dose única

 

Fonte: Jaru Online

Redação: Bruna Macedo