Primeira das 7 vítimas atacadas a golpes de facão recebe alta após 11 dias; Todos deixaram UTI

Primeira das 7 vítimas atacadas a golpes de facão recebe alta após 11 dias; Todos deixaram UTI

Após 11 dias de internação, uma das vítimas atacadas a golpes de facão em Porto Velho recebeu alta e voltou para casa. Outras seis continuam internadas nos hospitais de Base, João Paulo II e Santa Marcelina. O jovem que estava em estado grave deixou a UTI na manhã desta segunda-feira (12). A equipe médica que acompanha as vítimas de Edinei Ribeiro não divulgou a identificação dos pacientes.Segundo o médico cirurgião Fernando Máximo, a paciente que recebeu alta na manhã desta segunda-feira passou por procedimento cirúrgico para reimplantar o nariz que tinha sido decepado no ataque de Edinei Ribeiro. A mulher estava no Hospital de Base, ficou em observação por vários dias e após evoluir bem ao tratamento recebeu alta.

Já o outro paciente internado no Hospital de Base, com trauma torácico, lesões graves no pulmão e no coração, ainda irá passar por outra cirurgia no pulmão, mas seu estado de saúde é considerado estável.

Ainda de acordo com o médico, uma das vítimas foi levada para continuar o tratamento no Hospital Santa Marcelina. Ela também teve vários ferimentos graves pelo corpo, o estado de saúde é estável, mas não há previsão de alta até o momento.

Outros quatro pacientes continuam internados no João Paulo II. Eles tiveram uma melhora e o estado de saúde é considerado estável. Nenhum corre risco de morte, inclusive o que estava em estado gravíssimo. O rapaz evoluiu para estado grave e na manhã desta segunda-feira deixou a UTI, sendo transferido para a enfermaria do JPII.

O ataque

Os ataques ocorreram em diversos bairros na Zona Leste de Porto Velho, na última quinta-feira (1º). Edinei Ribeiro morava no Bairro Três Marias, Zona Leste de Porto Velho. Ele saiu em um carro modelo Fiat Uno e atacou as 11 vítimas aleatoriamente em vários bairros, entre Porto Cristo, Renascer, Fortaleza, Mariana e Airton Sena até retornar para casa onde foi baleado pela Polícia Militar.

Todas as vítimas tiveram várias lesões pelo corpo, alguns tiveram fratura exposta do crânio, com massa encefálica exposta, fratura exposta na mandíbula, assim como nos membros superiores, lesões de tendões e músculos. No dia do ataque, uma Marta Rodrigues Pereira, de 27 anos morreu. Uma criança de 9 anos e um homem tiverem lesões leves e receberam alta no mesmo dia.