Polícia começa operar ‘Patrulha Maria da Penha’ em Porto Velho

Polícia começa operar ‘Patrulha Maria da Penha’ em Porto Velho

Polícia Militar (PM) lançou, nesta quinta-feira (22), o projeto “Patrulha Maria da Penha”, em Porto Velho. De acordo com o capitão Renato Suffi, a viatura plotada inicia os trabalhos na próxima sexta-feira (23) e conta com o apoio do Ministério Público de Rondônia (MP-RO). O objetivo do projeto é atender mulheres vítimas de violência doméstica.

Conforme Suffi, o atendimento vai ocorrer após a ocorrência ter sido registrada na delegacia.

“A Patrulha Maria da Penha vai ser uma patrulha que vai atender especificamente os casos de violência doméstica grave. Nós vamos fazer o acompanhamento dessas vítimas, inclusive dando suporte psicológico, assistência jurídica, dentre outras assistências que o caso vai requerer. Nós estamos em contado direto com o Ministério Público. Tudo isso visando o quê ? Dar maior segurança às mulheres”, explicou o capitão.

Sobre os critérios de como o caso será considerado grave, o capitão afirma que a própria PM já sabe identificar as vítimas que precisam de acompanhamento.

“A Polícia Militar está em contato direto e eles [policiais] estão vendo os casos, de maior necessidade de acompanhamento e vai repassar para essa patrulha. A patrulha terá acesso a outros casos passados pelo Ministério Publico, que já tem denúncias”, disse o capitão.

Veículo da Patrulha Maria da Penha foi entregue no 2º Batalhão da PM em Ji-Paraná em abril de 2017  (Foto: Pâmela Fernandes/G1)

Veículo da Patrulha Maria da Penha foi entregue no 2º Batalhão da PM em Ji-Paraná em abril de 2017 (Foto: Pâmela Fernandes/G1)

Conforme Suffi, a patrulha vai verificar se as medidas protetivas solicitadas estão sendo cumpridas e ainda se a medida pode ser anulada, caso a vítima volte com a pessoa ou ainda não sofra mais ameaças.

O projeto já é realizado em outra cidade do estado. “Já funciona em Ji-Paraná com números expressivos e em Porto Velho começa a operar amanhã, sexta-feira 23”, disse o capitão

Embora existe uma patrulha específica, as demais também estão habilitadas a registrar a ocorrência e atender a vítima normalmente. Contudo, a “Patrulha Maria da Penha” pode ser acionada se estiver no horário de serviço. O atendimento inicial da patrulha será de 14h às 20h, que é o mesmo horário que a Delegacia da Mulher está fechada na capital.

“Nosso planejamento é para que ela se estenda em 24 horas esse atendimento”, disse Suffi.

Antes do projeto ser implantado na capital, os policiais militares receberam treinamento no MP-RO. Além disso, todo o serviço da patrulha contará com uma policial feminina. “Normalmente ela [a vítima] se abre mais com uma policial”, conta.

Comentários