PF prende suspeito de guardar e compartilhar vídeos e fotos de exploração sexual infantil em Rondônia

Publicada em


A Polícia Federal deflagrou a Operação DirtyBox nesta quarta-feira (24) para combater a divulgação de imagens e vídeos de exploração sexual de crianças e adolescentes na internet. Um mandado de busca e apreensão foi cumprido em uma casa de Vilhena (RO).

Durante o cumprimento do mandado, o principal investigado foi preso em flagrante pelo crime de armazenamento de imagens e vídeos de exploração sexual infantil. Ele foi levado para a delegacia da PF em Vilhena.

Na casa do suspeito, os agentes apreenderam equipamentos eletrônicos que estariam sendo usados para praticar os crimes.

As investigações começaram após um relatório produzido pelo Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas ser estudado pelo Núcleo de Análise da Delegacia de Defesa Institucional em Porto Velho, onde foi identificado que o usuário armazenava e disponibilizava através de plataforma em nuvem arquivos contendo abuso sexual infantojuvenil.

A operação foi chamada de “DirtyBox”, que significa caixa suja em inglês, fazendo referência ao tipo de conteúdo armazenado e divulgado pelo investigado.

Ainda de acordo com a PF, as penas para o delito de armazenamento de imagens e vídeos de exploração sexual infantil podem chegar a quatro anos e para o crime de disponibilização/divulgação de material de pornografia infantil podem chegar a seis anos por cada compartilhamento realizado.