O que leva uma pessoa a Suicidar? Muitos Buscam essa resposta!

O que leva uma pessoa a Suicidar? Muitos Buscam essa resposta!

Considerando que houve um aumento significativo de casos de suicídio nos tempos da pós-modernidade, sobre tudo nos últimos anos. Muitas pessoas me perguntaram pastor o que leva uma pessoa a cometer suicídio? Será uma maldição? Será uma força satânica? Um problema psicológico ou de personalidade? Vamos procurar entender, primeiro que estamos diante de fatos complexos, altamente complexos.
O Que é Suicídio? É o ato de tirar a própria vida intencionalmente. O comportamento suicida é muito complexo, mas podemos entender sobre a luz da bíblia de das teorias comportamentais. Devemos sempre levar a sério as tentativas e ameaças e tentativas de suicídio. Provavelmente cerca de um terço das pessoas que tentam suicídio tentará novamente dentro de um ano. Aproximadamente, 10% das pessoas que ameaçam ou tentam cometer suicídio terminam se matando.
1. As Possíveis Causas:
O comportamento suicida pode ocorrer por diversos problemas entre eles os clínicos patológicos, neurológicos, inerente à química cerebral: transtorno bipolar; depressão crônica; alcoólatra, esquizos e outros transtornos inerentes que tira o individuo da realidade e o prazer pela vida.

Geralmente os indivíduos que suicidam estão fugindo de uma situação difícil que foi imposta pela vida e que lhes parece impossível vencer; e pensam que através do suicídio encontrarão o alivio. Pensamento de culpa: São normais que comportamento suicida sente-se envergonhados culpados por pensarem ser pesados aos outros; outro fator é sentimentos de rejeição, perda ou solidão.
Outros componentes que aceleram o gatilho do comportamento suicida são: desemprego e fortes problemas financeiros, patologia incurável, traumas psicoemocionais na  dimensão profunda e impactantes, morte de um ente querido, até mesmo o envelhecimento (segundo pesquisa recente entre os idosos estão a maior taxa de suicídio) outro fator que deve ser observado no comportamento suicida é psicanalítico acesso à arma na infância, membro da família que cometeu suicídio, autoflagelamento, abuso, violência ou negligencia na
infância.

O que provavelmente ocorre no pensamento das pessoas que tentam cometer suicídio é acreditarem erroneamente que, ao deixar o mundo, estão fazendo um favor a seus amigos e parentes.
2. Comportamentos Suicidas:
Em muitos casos os indivíduos apresentam comportamentos, mas, nem sempre, apresentam determinados sintomas comportamentais antes de uma tentativa de suicídio, como por exemplo, mudança radical na rotina alimentar, perturbação do sono, sentimento de culpa diz que este desolado e muito culpado; gosta muito de falar sobre suicídio, alguns chegam a dizer que quer experimentar, de forma inesperada começa a ter problemas na escola, família e trabalho (problemas de pensamento) isolar-se afastar de amigos íntimos, apesenta comportamento autodestrutivo, perda rapidamente interesse por sexo, perda de interesse por divertimento principalmente os que eram de rotina; gosta muito de falar em ir embora, “vou organizar as minhas coisas” doar pertences, dificuldade na organização do pensamento. (pensamento automutilastes constante)
2.1. Buscando ajuda
Se você esta tendo pensamento suicida procure ajuda o mais rápido possível, desajuste do pensamento, ou desejo, busque ajuda rápido.
2.1.1. Médica: O médico é o profissional da saúde, ele fara uma avaliação para detectar se as alterações do pensamento são orgânicas, ou se existe uma patologia orgânica, que esta levando ao pensamento suicida. Uma pessoa com pensamento suicida pode estar precisando de tratamento de emergência ou após uma tentativa de suicídio.

As tentativas de suicídio podem ser de ordem patológica, inclui: Transtorno bipolar Transtorno de personalidade
limítrofe dependência de drogas ou álcool depressão profunda, etc. Problemas de saúde mental, relacionadas aos neurotransmissores podem geral pensamento suicida.
2.1.2. Ajuda Psicológica: Procure o profissional da psicologia, a terapia psicológica é fundamental; “Psicoterapia” porque ela ajuda na organização do pensamento e das estruturas psicoemocionais, ajustando o comportamento do individuo ao meio social; este será um momento de abrir-se para o novo de reconstrução, e de eliminação dos pensamentos automáticos autodestrutivos.
2.1.3. Ajuda Pastoral: os suicídios também podem ter origem demoníaca, uma pessoa sobre influencia maligna podem se suicidar; cf. Lc.5.1-20; outras por terem cometidos pecados e entraram em declínio espiritual tornaram escravas de sentimentos de culpa profundos; podem vir também a ter pensamentos suicidas; neste caso a terapia e espiritual, e a ajuda e pastoral.
3. A Visão bíblica-teológica a respeito do suicídio.
A Bíblia menciona algumas pessoas que cometeram suicídio, entre eles citam: Judas; Aitofel; Abimeleque; Zinri; Saul; o escudeiro de Saul; cf. Jz.9.54; 1Sm.31.4; 1Sm.l 31.4-6; 2Sm.17.23; 1Rs.16.18; Mt. 27.5. Percebe-se que eram homens pecadores, perversos carregados de maldades, e com comportamento atípico, cheios de rancores ciúmes e inveja; A Bíblia enxerga o suicídio da mesma forma que assassinato, pois isso é exatamente o que se chama de auto-assassinato; á pessoa mesma se matar; o dono da vida é Deus, e cabe a Ele única e exclusivamente decidir quando e como uma pessoa deva morrer; o desejo de Jesus é que tenhamos vida e vida em abundância, cf. Jo.10.10.
3.1. A Principal causa d causa do suicídio é a desesperança.
Estas pessoas se sentem sozinhas, sem esperança, sem perspectiva do futuro. A desesperança é um processo psicoemocional, “um luto sem causa” isto é, acontece dentro do ser humano e independente, mas fatores externos, psicológico, neural também podem contribui e influenciar. Na experiência pastoral e psicológica tenho atendido muitas pessoas frustradas, amarguradas, trises e sem esperança; estão vendo a vida de maneira e forma errada, como se viver pra elas não tem mais sentido, “solidão profundas”. Nesta perspectiva teológica a pessoa esta prestes a cometer suicídio; mas a bíblia tem a solução, Paulo disse “Jesus Cristo esperança nosso” cf. 1Tm.1.1-2.
3.2. Problemas espirituais:
Conflitos espirituais, e a questão do pecado, o pecado é a transgressão as leis divinas são causas teologicamente geradora de todas as mazelas; e ações demoníacas surgidas no mundo hodierno, entre elas o “suicídio”. A Bíblia fala de “angustia profunda e cordel de morte” cf. Sl.116; neste caso a angustia profunda e o desejo suicida (cordel de morte) eram problemas de origem espirituais, que poderá levar ao suicídio. Mas o salmista encontrou a solução “Então invoquei o nome do Senhor” problemas espirituais não resolve com medicamentos, mas, com oração, cf. Sl. 116.4, “O Senhor livra minha alma” e o Senhor atendeu a suplica do salmista, o qual ele mesmo confessa dizendo: “Estava abatido, mas, ele me livrou” “Tu Senhor livraste a minha alma da morte” por meio da fé em Deus o salmista cantou o hino da vitória sobre o pensamento suicida, “Cri, por isto falei: estive muito aflito”
estive (tempo passado) hoje não estou mais, o Senhor me libertou, curou a minha alma. Cf. 116.1-19.
3.3. O Diabo é o principal autor do suicido.
Cristo veio para trazer vida, e vida com abundância, cf. Jo.10.10; O ladrão (diabo) vem para matar, roubar e destruir a vida das pessoas; ele é homicida desde o principio e nunca falou a verdade, cf. Jo.844; portanto, tudo que descaracteriza a vida com abundância e que desvalorize a vida é condenável. O suicídio é um assunto extremamente delicado, mas sem dúvida tem uma forte ligação com as forças malignas. Até mesmo os filósofos ateus, como Sartre, por exemplo, afirmam que o suicídio é errado por ser uma atitude que destrói todos os atos futuros de liberdade; para Agostinho, “O suicídio é o fracasso da coragem”.
Conclusão:
O aconselhamento pastoral faz com que a esperança brota no fim do túnel; ele é um processo terapêutico espiritual de ajuda. Jesus Cristo é a nossa viva esperança; “Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desesperados; perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos” cf. 2Co.4.8-9. Mude o foco de seus pensamentos, cf. Sl 139:17-18 “E quão preciosos me são, ó Deus, os teus pensamentos!
A Bíblia convida você a estar sempre ao lado de Jesus cf. Mt. 11.28-30. Deus é o nosso refugio e fortaleza socorro bem presente, cf. Sl. 46.1; Deus é misericordioso, cf. Lt.3.22-23 As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; novas são cada manhã e grandes é a tua fidelidade que se estende de gerações a gerações; Com a ajuda de Deus, possamos ter o controle sobre os nosso pensamentos; a Bíblia diz em Filipenses 4.8 “Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.”

Autor: Mauricio Brito é Pastor, membro da AD Jaru (RO),
Secretario do Conselho de Educação e Cultura da
CEMADERON, Graduado em Pedagogia, Filosofia, Teologia,
e Psicologia, Professor Universitário e Escritor.

Comentários