Ministério Público cobra R$ 7 milhões de youtuber por frase racista

Ministério Público cobra R$ 7 milhões de youtuber por frase racista

O Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) pede que o youtuber Júlio Cocielo pague R$ 7 milhões por ter ofendido o jogador da seleção francesa Kylian Mbappé durante a Copa do Mundo. Os promotores de Direitos Humanos Eduardo Valério e Bruno Orsini Simonetti o acusaram de racismo.

“Mbappé conseguiria fazer uns (sic) arrastão top na praia, heim?”, escreveu Cocielo no Twitter.

 

De acordo com o jornal ‘O Globo’, os promotores também pediram a quebra do sigilo bancário do réu.

 

“Trata-se de um jovem jogador negro, francês de ascendência camaronesa, de compleição física robusta e que mostrou, nos jogos da seleção francesa na Copa da Rússia, impressionantes velocidade e explosão, daí advindo, em notória manifestação de racismo, a sua associação com os assaltantes (negros, na ótica do autor) que praticam crimes de roubo nas praias brasileiras, sobretudo fluminenses, sempre sob contínua e desabalada corrida”, diz texto da ação.

 

Para reforçar a tese de racismo, os promotores anexaram comentários preconceituosos feitos pelo YouTuber no Twitter entre 2010 e 2018.

 

Em julho, Cocielo se manifestou em relação ao comentário sobre Mbappé. Ele pediu desculpas, e disse que o post se referia à velocidade do jogador, não à sua cor de pele.

 

“O tuíte foi interpretado de mil formas diferentes e gerou uma enorme discussão. De qualquer forma, não existe justificativa, isso fez eu me sentir muito mal só de imaginar ter sido uma pessoa escrota. Arrependido e aprendido! Lição pra vida! Nunca mais se repetirá! […] Peço desculpas publicamente”, escreveu Cocielo.

Comentários