Mais de 25 famílias ficam desabrigadas por cheia do rio Jamari, em Ariquemes

Mais de 25 famílias ficam desabrigadas por cheia do rio Jamari, em Ariquemes

Devido a cheia em pontos banhados pelo rio Jamari, mais de 25 famílias ficaram desabrigadas em Ariquemes (RO), município do Vale do Jamari.

Na manhã deste sábado (9), por exemplo, o Jamari chegou a 12 metros no ponto que fica na BR-421, segundo o Corpo de Bombeiros local. As 25 famílias que tiveram suas casas atingidas pelas águas foram retiradas e levadas a uma escola pública, no bairro Mutirão. Algumas preferiram seguir para casa de parentes.

Em outro ponto, o principal rio da região alcançou a marca dos 14 metros: na RO-459. Como consequência, acabou encobrindo a ponte concentrada na rodovia estadual. A via chegou ao 3º dia de interdição.

A secretária Municipal de Desenvolvimento Social (SEMDES) em Ariquemes, Giseli de Mendonça Jasset, disse ao G1 que a preocupação da pasta, no momento, é em preservar a vida dos moradores atingidos, orientando-os a saírem de suas casas.

“Muitos foram pegos de surpresa ou não estão acreditando que poderia piorar a situação. Então muitos decidiram não sair. E a água acabou subindo rapidamente durante a madrugada e acabou que três, quatro moradores perderam tudo que tinham dentro de casa”, afirmou.

Nível do rio chegou a 14 metros na região que banha a RO-459.  — Foto: Rinaldo Moreira/G1

Nível do rio chegou a 14 metros na região que banha a RO-459. — Foto: Rinaldo Moreira/G1

A Defesa Civil local e servidores da SEMDES visitaram todos os moradores das áreas atingidas. Eles fizeram um cadastro para controle das famílias desabrigadas e o atendimento social.

De acordo com a última medição feita pelos bombeiros, a cheia do rio Jamari chegou a 14 metros na região que banha a ponte na RO-459. O local segue encoberto pelas águas e interditado.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), até por volta das 12h deste sábado, o volume de água sobre a pista é de 30 centímetros de altura e aproximadamente 60 metros de comprimento.

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) instalou um “Siga” e “Pare” no local. Equipes da PRF monitoram o trafego de veículos. Conforme o superintendente do DNIT, a “situação está complexa”.

DNIT demarca em mapa ponto de alagamento na RO-459.  — Foto: Reprodução/Google

DNIT demarca em mapa ponto de alagamento na RO-459. — Foto: Reprodução/Google

Transtornos

A moradora de Monte Negro (RO) Odete Guzo estava viajando com o esposo à cidade de Candeias do Jamari onde iriam comemorar o aniversário do neto.

Porém, resolveram não arriscar e desistiram da viagem temendo que o volume de água pudesse subir ainda mais e ficar sem ter como retornar.

Odete Guzo desistiu de viajar para comemorar aniversário do neto por causa da cheia.  — Foto: Rinaldo Moreira/G1

Odete Guzo desistiu de viajar para comemorar aniversário do neto por causa da cheia. — Foto: Rinaldo Moreira/G1

“A gente está aqui parado esperando para ver se a água vai baixar um pouco pra passar. Mas pelo jeito a gente vai ter que voltar, que não vai dar pra passar ali. Não tem muita gente voltando embora”, disse.

Wellington da Silva Rodrigues saiu de Rio Crespo (RO) com esposa e filhos no carro e tentou atravessar. Contudo, o veículo parou e precisou ser guinchado até a oficina em Ariquemes.

Wellington da Silva Rodrigues teve o carro guinchado.  — Foto: Rinaldo Moreira/G1

Wellington da Silva Rodrigues teve o carro guinchado. — Foto: Rinaldo Moreira/G1

“Estou vindo de Rio Crespo para pegar umas peças ao caminhão que quebrou e a hora que eu entrei ali veio uma carreta de frente comigo, jogou água e meu carro trancou o motor. Infelizmente fundiu o motor através dessa água, dessa possa”, lamentou.

A PRF comunicou que, pelas marcações realizadas desde o inicio do alagamento, o nível das águas continua subindo.

Comentários