Jovem rondoniense cria filtro com sementes de açaí e garrafa pet

Publicada em


Cada unidade do filtro custa aproximadamente R$ 30. Quase um milhão de rondonienses vivem em áreas que não possuem acesso a água tratada, segundo Instituto Trata Brasil.

Jovem rondoniense, criador de filtro com sementes de açaí. — Foto: Gustavo Luz/Rede Amazônica

O pesquisador rondoniense, Ygor Requenha, de 24 anos, criou um filtro que promete resolver dois problemas muito comuns na região: desperdício e a falta de água potável. A ferramenta é criada a partir de sementes de açaí e busca atender principalmente as comunidades ribeirinhas que não têm acesso à água tratada e encanada (veja como o filtro é feito no final da reportagem).

O ponto de partida para o projeto aconteceu em 2016, quando Ygor participava de um grupo de trabalho voluntário com crianças acolhidas.

“Me chamava muita atenção os casos de mortalidade infantil causados por água contaminada. Então a partir disso eu pensei: ‘essa é uma problemática que me envolve e eu gostaria de ajudar'”, lembra.

Com o olhar voltado à sociedade onde vive, o pesquisador percebeu que poderia utilizar as sementes de açaí que são descartadas após a produção da polpa e utilizar na produção de filtros para água.

“Eu pensei o seguinte: nós temos aqui o material [açaí] que é abundante e que tem um grande potencial. Por que não usar para resolver um outro problema? Nós queremos água também em abundância, mas normalmente ela não está em condições adequadas para o consumo”, comenta.