Jaru: Mulheres protestam contra reforma trabalhista e aumento da violência

Jaru: Mulheres protestam contra reforma trabalhista e aumento da violência
ELETROSSOL NORTE JARU Instalação energia solar

“A maior violência contra as mulheres será esta reforma trabalhista”, afirma uma das manifestantes que concluiu dizendo que as mulheres serão as mais prejudicadas com a nova regra previdenciária.

O protesto ocorrido em todo Brasil e organizado pelo Movimento Frente Brasil Popular, também aconteceu em Jaru na Avenida D. Pedro I, no final da tarde desta sexta-feira 08, dia Internacional das Mulheres.

Um grupo de mulheres munidas de cartazes evidenciou aos condutores e transeuntes suas insatisfações com o atual momento que vivemos, “fim dos direitos trabalhista, aumento da violência contra as mulheres, aumento da energia e da destruição ambiental, esta conta quem está pagando são os trabalhadores e trabalhadoras deste país”, afirmou elas classificando que também está ocorrendo paralelamente um desmonte do patrimônio brasileiro com as privatizações e perdão de dívidas bilionárias as empresas.

Mas o foco do manifesto direcionou a reforma da previdência que segundo elas irá praticamente destruir a previdência rural.

As mulheres declararam que apesar de serem um grupo pequeno as causas são muito grandes e de interesse da maioria e esperam que as mobilizações recebam adeptos para evitar que os governantes continuem destruindo direitos adquiridos por anos de luta da sociedade brasileira.

Comentários