Jaru: Instalação de Usinas de Reciclagem de Resíduos Sólidos irá gerar cerca de 600 empregos

Jaru: Instalação de Usinas de Reciclagem de Resíduos Sólidos irá gerar cerca de 600 empregos

Representantes do Grupo Empresarial INER, promoveram na noite desta segunda feira (18), uma reunião na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais para tratar sobre a instalação de Usinas de Reciclagem de Resíduos Sólidos no município de Jaru.

Estiveram presente, prefeitos e representantes de municípios vizinhos, o deputado estadual Lazinho da Fetagro, e representantes de entidades do município de Jaru.

O Diretor Presidente SINDETAP-RO, Cleomilson Lima de Almeida, explicou aos presentes que a usina de reciclagem a ser implantada em Jaru, terá sua parcela socioambiental e econômico para o município, com a destinação adequada dos resíduos sólidos e renda aos trabalhadores.

O Grupo INER, que tem como parceiros empresas privadas, está implantando Indústrias de beneficiamento de resíduos sólidos em todo Brasil, no estado de Rondônia serão abertas 21 usinas, cada unidade terá capacidade de processamentos de resíduos produzidos por grupo de 100 mil habitantes, a cidade de Jaru sediará a unidade 10, responsável pelo recolhimento do lixo produzido também pelas cidades de Cacaulândia, Governador Jorge Teixeira, Theobroma e Vale do Anari.

Segundo afirmou, Cleomilson, serão investidos no primeiro momento cerca de R$ 10 milhões no município, com a construção da usina de reciclagem as margens da BR 364 saída para Ouro preto do Oeste, e em uma sede social a ser construída próximo nova creche Pato Donald no setor 02. De acordo com o representante da empresa, a INER em contra partida ofertará cursos de qualificação, cerca de 200 serão ministrados na sede social. Catadores e famílias que tem como fonte de renda o lixo, serão qualificados e empregados com todos os direitos da CLT.

Os representantes da INER, esclareceram que o grupo é financiado por grandes empresas nacionais e multinacionais e tem por objetivo contribuir com o meio ambiente dando uma solução adequada aos resíduos produzidos paras as cidades, e consequentemente geração de receitas provenientes do recolhimento do lixo que será separado e reciclado, como; papelão, plástico, vidro, metais, ferro, alumínio e até o chorume para fabricação de adubo.

Cleomilson ressaltou que o serviço proposto pela usina de reciclagem, solucionará o problema dos lixões e da dispendiosa construção dos aterros sanitários que consumirão milhões de reais em verbas públicas e por consequência ainda não atenderão adequadamente as normas sanitárias e ambientais. Lembrou que a parceria pública dependerá da vontade dos gestores municipais que sem custo algum ao município, poderão depositar os resíduos nas usinas.

A previsão de inicio das obras é ainda este ano.

 

Comentários