JARU: Avô de crianças supostamente raptadas pelo pai, alega que elas eram agredidas pela mãe; Imagens de hematomas são divulgadas

Publicada em


Na manhã desta terça feira(14), o Sr. Simão Urias pai de Fábio e ex sogro de Bruna, compareceu a redação do Jaru Online para relatar a sua versão da história, na qual Bruna Santos denunciou a polícia seu ex-companheiro Fabio Sandro, por suposto sequestro de seus dois filhos, Esther e Simon, e fuga para o país vizinho, Bolívia.

Sr. Simon é funcionário público municipal a cerca de 18 anos, trabalha como coveiro no cemitério municipal, ele enfatizou não ter vindo a público em defesa da atitude do filho, mas sim para esclarecer os acontecimentos que os envolve.

Ele ressalta que desaprova a ação de Fabio, afirmando não ter sido a forma correta de agir, no entanto relata que o filho provavelmente tomou tal atitude no desespero de proteger seus filhos, que segundo ele, eram constantemente agredidos pela mãe que era extremamente negligente em sua função como genitora.

Simon relata que seu filho ultimamente estava tendo dificuldades em ver as crianças, Bruna evitava e arrumava empecilhos para impedir que Fabio e as crianças se encontrassem, e quando ele conseguia sempre identificava hematomas pelo corpo delas, bem característicos de maus tratos. O avô informou que seu filho chegou inclusive a procurar o Conselho Tutelar, porém minimizaram, dizendo que poderiam ser apenas marcas fruto de algum tombo ou algo assim.

O avô  disse ainda que as crianças sempre moraram com eles (avós paternos), e que estavam com Bruna somente a 90 dias, ela teria pego as crianças para passar um fim de semana e decidiu não mais devolve-las ao pai, e já que a guarda era dela, eles nada puderam fazer a respeito.

Em defesa do filho, ele disse ainda ter documentações que comprovam as vezes que ele e seu filho compareceram ao Conselho Tutelar para denunciar Bruna, que por muitas vezes frequentava bares altas horas da noite levando as crianças como companhia.

Questionado sobre o paradeiro de Fabio e as crianças, Simon, afirmou não ter conhecimento de seus destinos, mas está convicto que estão bem cuidadas, relatou não ter mantido contato com eles uma vez que o telefone de seu filho encontra-se desligado. Quanto à possibilidade de Fabio ter atravessado a fronteira com as crianças, ele esclareceu  que a família possui parentes em três países, porem não tem conhecimento se as crianças estavam com documentos para viajar e sair do país.