Jaru: Assassino confesso que foi preso e liberado no mesmo dia, relata com frieza como esfaqueou e degolou vítima

A Policia Militar prendeu na tarde desta quinta-feira (14) Leonel Vicente Celestino, acusado de ser o autor do homicídio ocorrido na madrugada desta quinta-feira na Rua 21 de Abril no Jardim Novo Estado.

Policiais do Núcleo de Inteligência da PM (NI) retornaram na manhã seguinte ao local do crime, e ingressaram a uma residência próxima conhecida por ser um local de aglomeração de viciados em drogas, que seria de propriedade de Leonel, no interior do imóvel foi observado várias marcas de sangue e de luta corporal, uma faca com vestígio de sangue foi recolhida, na ocasião não havia ninguém na casa.

Diante os fatos os policias tiveram convicção que Leonel teria envolvimento no homicídio saindo em seu encalço, o localizando e prendendo no final da tarde.

Leonel, confessou o crime sendo então preso e encaminhado para UNISP, onde foi ouvido pela delegada de plantão e liberado posteriormente para responder em liberdade.

Entrevistamos Leonel na saída da delegacia, ele não demostrou arrependimento e nos relatou uma versão pouco convincente de legitima defesa.

O assassino confesso, contou com frieza de detalhe como matou cruelmente a golpes de faca, Milton Cezar Nunes da Silva de 43 anos. “A faca estava sem ponta, eu senti que consegui furar ele mesmo na barriga e depois cortei o pescoço dele”, disse.

Apos a entrevista Leonel foi embora caminhando a pé.

Leonel é irmão de Marcelo Vicente Celestino, acusado de participação no duplo homicídio que vitimou em 16 de abril de 2016, o advogado Arthur Wanderbroock, popular “Portuga” e seu amigo Alessandro Célia Rigato, o “Keno”. Relembre Aqui:

Acompanhe o vídeo:

Comentários