Homem é condenado a 17 anos de prisão por matar amigo e enterrar em reserva extrativista de Rondônia

Publicada em


Um homem foi condenado pelo Tribunal do Júri em Guajará-Mirim (RO) após matar Francisco da Costa da Silva e enterrar em uma reserva extrativista com ajuda de outras duas pessoas. O crime aconteceu em março deste ano.

De acordo com o Ministério Público Estadual (MP-RO), autor do processo, o réu foi condenado a 17 anos e 9 meses de reclusão por homicídio e ocultação de cadáver.

Ele teria matado a vítima a tiros por motivo torpe e coagido duas pessoas a mover o corpo e enterrar no “Ramal do Pompeu”, localizado na reserva extrativista Rio Ouro Preto.

Entenda o caso

Em março deste ano, o pai de Francisco da Costa da Silva, procurou a Polícia Civil para informar que o filho havia desaparecido após sair para beber com outro homem.

O suspeito do crime, que seria amigo da vítima, foi localizado quase uma semana depois em Guajará e preso em flagrante por porte ilegal de arma de fogo.

Inicialmente ele negou ter matado Francisco, mas em pouco tempo confessou o crime e disse à polícia que contou com a ajuda de dois homens que são irmãos para enterrá-lo.