Focos de calor aumentam 180% em Rondônia nos dez primeiros dias de julho

Publicada em


O número de focos de calor em Rondônia aumentou 180% nos dez primeiros dias de julho em comparação com o mesmo período do mês em 2020.

Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisa Espaciais (Inpe), entre 1° e 10 de julho deste ano foram 154 focos no estado, ante 55 contabilizados nos dez primeiros dias de julho do ano passado.

Os dez municípios que mais registraram focos de calor no começo deste mês de julho são:

  1. Porto Velho: 54 focos
  2. Candeias do Jamari: 15
  3. Alto Paraíso: 7
  4. Guajará-Mirim: 7
  5. Machadinho D’Oeste: 7
  6. Ariquemes: 6
  7. Buritis: 5
  8. São Miguel do Guaporé: 5
  9. Cujubim: 4
  10. Rio Crespo: 4

Alerta para Porto Velho

Em relação ao ranking nacional, Porto Velho ocupa atualmente a terceira posição dos municípios que mais tiveram focos entre 1° e 10 de julho no Brasil. Em primeiro lugar está Corumbá (MS), com 211 registros, e em segundo aparece Formosa do Araguaia (TO), com 110 focos.

Ainda segundo o Inpe, em relação ao mesmo período do ano passado, os focos de calor na capital de Rondônia aumentaram 1.250% nos últimos dez dias. Entre 1° e 10 de julho de 2020, Porto Velho tinha registrado apenas 4 focos.

Focos em reservas estaduais e terras indígenas

Ainda no primeiros dez dias do mês de julho, dois dos 154 focos no estado foram registrados em unidades de conservação, sendo um no Parque Estadual Guajará-Mirim e Resex Jaci-Paraná.

Já nas terras indígenas foram contabilizados sete focos de calor, sendo a maioria deles na T.I Karipuna.

A análise do Inpe mostra que a situação já preocupa antes mesmo do início da temporada do fogo, que começa sempre em agosto e dura cerca de quatro meses.

G1/RO