Fiscalização flagra médico operando dois pacientes ao mesmo tempo durante mutirão oftalmológico

Publicada em


Aglomeração de pacientes com Covid-19 sem o isolamento recomendado, mais de uma pessoa sendo operada, ao mesmo tempo, por apenas um médico. Esse foi o cenário que o Conselho Regional de Medicina de Rondônia (Cremero) diz ter encontrado durante fiscalização no Hospital Regional de Vilhena (RO).

As irregularidades foram identificadas na quinta-feira (24). Na data ocorria um mutirão de cirurgias oftalmológicas na unidade de saúde.

“Nós nos deparamos com a grande quantidade de pacientes. Ao entrar na sala onde estavam aglomerados, percebemos que ali mesmo eram realizadas as cirurgias, em um ambiente sem nenhuma condição”, relembra o diretor de fiscalização, Cleiton Cassio Bach.

Em uma das salas do centro cirúrgico, o Cremero encontrou dois pacientes sendo operados por apenas um oftalmologista, sem a presença de anestesista ou outro profissional para auxiliar em caso de alguma necessidade.

“Não havia ambiente cirúrgico para tais procedimentos, nem mesmo sala de recuperação e nenhum paciente tinha feito qualquer tipo de exame clínico pré-operatório”, apontou o diretor de fiscalização.

Além das falhas já citadas, a equipe constatou que na área de acesso à ala onde eram feitas as cirurgias não havia sanitização necessária ou preocupação aparente com a germes, bactérias e outros organismos que podem causar doenças.

Cremero fiscaliza Hospital Municipal de Vilhena e encontra uma série de irregularidades — Foto: Cremero/Divulgação

Cremero fiscaliza Hospital Municipal de Vilhena e encontra uma série de irregularidades — Foto: Cremero/Divulgação

“Isso compromete a segurança dos pacientes, é algo que a gente não pode abrir mão. A gente tem que tratar esses pacientes, mas a gente tem que ter em mente que é fundamental que eles tenham um tratamento de qualidade”, destacou o vice-presidente do Cremero, Marco Tulio.

A Prefeitura de Vilhena informou em nota que as cirurgias oftalmológicas eram realizadas por uma empresa contratada pelo Governo de Rondônia, através do “Projeto Enxergar”. Depois da fiscalização, os procedimentos foram suspensos pelo único médico atuante e devem ser retomados em breve.

O g1 entrou em contato com o Governo de Rondônia para saber quais procedimentos foram tomados para regularizar a situação, mas não obteve retorno até a última atualização desta matéria.

No início de março, o Cremero havia confirmado um surto de infecções entre pacientes que participaram de um dos mutirões oftalmológicos realizados pelo governo do Estado. Na época, o Conselho enviou recomendação para que os mutirões sejam suspensos até o esclarecimento dos casos.

Pelo menos 40 pessoas foram diagnosticadas com endoftalmite, uma infecção oftalmológica pós-cirúrgica, e 13 deles foram positivados para a bactéria pseudômonas, a mais grave na especialidade.

Alguns dias depois, o Ministério Público de Rondônia (MP-RO) instaurou um procedimento para apurar a possível falha na prestação de serviço da clínica que fez as cirurgias.

G1