Estoque de sangue para doação está baixo do Hemocentro de Ji-Paraná

Publicada em


Campanhas já não ocorrem há 2 anos no município de Jaru

Hemocentro de Ji-Paraná
Foto: Cleide Araújo/Hemocentro

 

Rondônia vem sofrendo uma baixa gravíssima no estoque de sangue, e a região central do estado está passando por um momento crítico que se agrava ainda mais pelo momento de pandemia do novo corona vírus.

O Hemocentro de Ji-Paraná atende as demandas de 13 municípios e é o mais próximo do município de Jaru, que não possui um Centro de Doação de Sangue e conta apenas com campanhas para a arrecadação de sangue e medula óssea.

Contudo, nesse momento de calamidade as campanhas foram suspensas devido ao fato do risco de propagação e contagio, tornando inviável esse procedimento, haja visto que quando eventos como esse ocorrem, há grande aglomeração de pessoas com intenção de doar.

Somente em Jaru tem mais de 1.500 doadores cadastrados, onde convém avaliar a necessidade de um hemocentro no município, tendo em vista também a demanda dos municípios vizinhos.

Em contato com o Hemocentro de Ji-Paraná, foi informado pela assistente social Cleide Araújo, que “há dois anos não tem campanha de coleta de sangue em Jaru, pois o Fhemeron de Porto Velho suspendeu as coletas externas”. Ela também ressaltou que o país inteiro vem sofrendo com baixas no estoque, e que o Centro está trabalhando por agendamento para evitar aglomerações.

O Hemocentro de Ji-Paraná está contando com reforço na contenção de riscos com limpeza de redobrada.

Em Jaru, a Secretária de Saúde, Tatiane de Almeida Domingues esclareceu que “as campanhas de doação de sangue, eram realizadas em parceria com ONG’s, igrejas, escolas, entre outros, e que a secretaria prestava apoio na parte de logística, divulgação e organização, como por exemplo: lugar e equipe de apoio para a campanha.”

A Secretaria de Saúde busca sempre apoiar a Fhemeron (Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Rondônia) divulgando a importância de ser um doador, tanto que no município, os servidores públicos são incentivados a doar e têm direito a folga para realizar a doação nos Hemocentros. Tatiane ressalta que a possibilidade de montar um hemocentro em Jaru é real, porém o processo é feito através do Governo do Estado, ou seja, o município não conseguiria realizar apenas pela vontade da população.

O estoque de bolsas de sangue em Jaru fica no próprio Hospital Municipal e é reposto conforme a demanda porém, os municípios como Theobroma, Jorge Teixeira, Vale do Anari e Machadinho do Oeste sempre que precisam de transfusão são repassados ao Hospital de Jaru, usando do estoque existente.

O transporte das bolsas de sangue é feito pela Agência Transfusional, que tem como função, armazenar sangue e seus derivados, realizar exames imuno-hematólogicos pré-transfusionais, liberar e transportar os produtos sanguíneos para as transfusões.

Os requisitos básicos para a doação de sangue são: estar em boas condições de saúde, ter no mínimo 16 anos (com autorização dos pais) e no máximo 69 anos, ter no mínimo 50 quilos, estar alimentado com no mínimo 3 horas após o almoço e ter dormido no mínimo 6 horas nas últimas 24 horas.

Quem teve Covid-19 pode doar 30 dias após o tratamento, caso tenha sido brando, em casos mais graves da doença, a doação deve ser após 90 dias.

As pessoas que tiverem a intenção de doar, deverão agendar nos hemocentros mais próximos que estão localizados em Ji-Paraná e Ariquemes.

Sala de coleta do Hemocentro de Ji-Paraná
Foto: Cleide Araujo/Hemocentro