ENDEMONIADO: Homem ameaça degolar bebê e tenta estuprar mulher em Manaus

ENDEMONIADO: Homem ameaça degolar bebê e tenta estuprar mulher em Manaus
ELETROSSOL NORTE JARU Instalação energia solar

Um homem, identificado como Anderson Felipe Chagas dos Santos, 25, natural de Careiro Castanho (a 88 km de Manaus), foi preso na madrugada deste sábado (9), após invadir uma casa no bairro Jorge Teixeira, zona Leste de Manaus. Ele tentou roubar e estuprar as pessoas que moravam no local. Ao menos três moradores sofreram agressão por parte do assaltante, que agiu com requintes de crueldade.

De acordo com a Polícia Militar do Amazonas (PM), o suspeito invadiu a casa, pulando a janela durante a madrugada. Ele surpreendeu os moradores que estavam dormindo e agiu com bastante violência, chegando a amarrar as pessoas e perfurar as costas delas com uma faca.

A polícia conta que o suspeito entrou no quarto e ameaçou os moradores, amarrou as três vítimas, pegou dois celulares e, em seguida, começou a torturá-los. Anderson chegou a ameaçar que iria degolar uma criança de um ano e 11 meses.

A polícia chegou ao local, onde estava ocorrendo o assalto, após um morador do bairro, que é parente das vítimas, perceber uma movimentação estranha na casa durante a madrugada. Os policiais invadiram a residência e, ao entrarem no quarto, avistaram dois homens com pés e mãos amarrados e deitados de peito para o chão.

A criança de colo estava deitada na cama e chorava bastante. Já a mulher estava amarrada e deitada na cama sem as roupas.  Segundo a polícia, o suspeito com uma faca nas mãos tentou cometer o ato sexual com ela.

Segundo a PM, os homens que estavam no chão amarrados estavam feridos com golpes de faca e relataram que estavam há quase 30 minutos sendo torturados pelo infrator. Os dois homens foram levados ao Hospital Platão Araújo para atendimentos médicos.

Anderson Felipe Chagas tem passagem por roubo majorado, é foragido do sistema prisional do município de Careiro Castanho e vai responder por roubo e estupro, segundo informou a Polícia Militar.

 

Fonte: EMTEMPO

Comentários