CERON OLHO GATO 728-X-90-px

Depois de 12 horas de ocupação, trabalhadores em educação deixam o prédio da Seduc em Porto Velho

Depois de 12 horas de ocupação, trabalhadores em educação deixam o prédio da Seduc em Porto Velho

SEGURANÇA Publica_728x90

Os trabalhadores em educação estaduais de Rondônia deixaram o prédio da Secretaria de Estado da Educação, em Porto Velho, por volta das 19 horas desta sexta-feira (23), depois de 12 horas acampados no local.

A desocupação se deu após o comparecimento do secretário de Estado da Educação, Florisvaldo Alves, no local, com informações que podem levar à retomada das negociações na próxima semana.

Os trabalhadores ocuparam o prédio da Seduc por volta das 7 horas da manhã em protesto contra a falta de contraproposta do governo à proposta de Plano de Valorização dos trabalhadores em educação, apresentada pelo Sintero, ainda em dezembro de 2017.

O secretário informou que o Governo já fez o levantamento da quantidade de pedidos de aposentadoria pendentes e do valor da economia que essas aposentadorias representarão, e já apresentou o resultado ao Tribunal de Justiça, conforme determinado na audiência de conciliação.

Ainda de acordo com o secretário, o governo está fazendo um outro estudo para verificar qual o valor que a Seduc pode economizar no orçamento próprio e que possa reverter para salário dos trabalhadores em educação.

Isso para retomar as conversas com o Sintero, o que poderá ocorrer até a próxima quarta-feira, quando deverá ser apresentada uma proposta à categoria. Qualquer negociação, no entanto, somente ocorrerá com a presença da diretoria Executiva e de diretores de todas as Regionais. E qualquer deliberação, será feita pela categoria, em assembleia.

Na presença do secretário os trabalhadores em educação demonstraram união e disposição para manter a ocupação da Seduc por quanto tempo fosse necessário, mas decidiram se retirar do local espontaneamente para manter o diálogo.

Eles já estavam preparados com colchões e o Sintero já disponibilizava a estrutura necessária à manutenção do protesto.

A presidente do Sintero, Lionilda Simão, considerou sensata a decisão dos trabalhadores em educação, e disse que a diretoria do sindicato apoiaria a categoria qualquer que fosse a deliberação.

Embora tenham decidido desocupar a Seduc, os trabalhadores em educação deixaram bem claro que a greve continua, e já marcaram concentração em todas as Regionais na segunda-feira, dia 26/03, para discutir novas estratégias de luta e reforçar a mobilização.

>SEDAM QUEIMADAS