Cemetron lotado, quase 350 profissionais afastados e mais: veja situação da saúde em Porto Velho

Publicada em


Durante entrevista coletiva sobre a pandemia do novo coronavírus na manhã desta quarta-feira (29), o secretário de saúde do estado, Fernando Máximo, informou que os leitos do Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron) atingiram a capacidade máxima, ou seja, estão lotados.

Atualmente, o apoio ao Cemetron vem da Assistência Médica Intensiva (AMI), que disponibiliza leitos para atender possíveis pacientes graves diagnosticados com Covid-19.

A Sesau informou que, ainda nesta quarta, deve assinar um contrato com o Hospital Prontocordis para adquirir 50 leitos clínicos e mais 12 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) que serão usados assim que esgotarem os leitos da AMI.

Profissionais afastados

Cerca de 200 servidores que atuam no Hospital João Paulo II estão afastados de suas atividades por causa do novo coronavírus. 99 já fizeram o exame e testaram positivo para a doença, enquanto 123 testaram negativo. Cinco estão curados e já retornaram ao trabalho, conforme repassado pela Sesau.

“Isso é um alento em meio a uma pandemia. A gente acaba ficando feliz por receber a notícia de que tem pessoas curadas e que elas podem voltar a suas atividades”, disse o secretário de saúde Fernando Máximo.

Já no Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro, 146 servidores estão afastados e 23 testaram positivo para doença.

O estado criou uma estrutura para atender os servidores do governo na Policlínica Oswaldo Cruz (POC). A coleta do material para exames de Covid-19 é feita pela prefeitura de Porto Velho, que depois envia para o Laboratório Central de Saúde Pública de Rondônia (Lacen).

Além dos servidores da área da saúde, também estão inclusos atendimentos a agentes do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Polícia Militar e Polícia Civil.

Mais ajuda

Diante do número crescente de afastamento, o secretário informou sobre a convocação temporária de 611 profissionais da área da saúde.

“Infelizmente alguns, em pequena proporção, pediram demissão, mas levando em consideração que têm vários afastados, pelo fato de terem tido contato com alguém infectado ou eles mesmos estarem, perdemos muita força de trabalho e por isso estamos chamando. É um momento em que a gente precisa muito do servidor da área da saúde”, diz Máximo, que pede para que quem foi convocado se apresente o mais rápido possível.

Call Center 24h

Também foi pauta da coletiva desta quarta o Call Center criado esta semana para atender a população caso tenha suspeita da Covid-19.

Foi anunciado que 12 médicos trabalharão em escala de plantão no Call Center. O serviço, que funcionará 24h, tem como objetivo tirar dúvidas e orientar caso a pessoa sinta alguns dos sintomas do novo coronavírus. O número é o 0800-642-5398.

A Sesau informa que a princípio podem haver problemas na linha, pois ela ainda passa por ajustes.

Quando o interessado ligar para o Call Center, responderá perguntas previamente cadastradas. Dependendo das respostas, uma pontuação é atingida. Ficando abaixo de 60 pontos, esse paciente recebe dicas eletrônicas porque o questionário identificou que não há sintomas sugestivos para o coronavírus. Caso atinja ou ultrapasse a pontuação 60, a ligação é direcionada para um médico de plantão.