Mulher É Atacada Com Facão Por Ficar Em Silêncio Durante Briga Com Marido

Mulher É Atacada Com Facão Por Ficar Em Silêncio Durante Briga Com Marido

Uma mulher, que não teve a idade divulgada, foi atacada pelo marido com golpes de facão após ficar em silêncio durante uma briga de casal, em Guajará-Mirim (RO), município distante a 330 quilômetros de Porto Velho. Segundo a Polícia Militar (PM), o crime aconteceu na quinta-feira (4) na residência do casal, no Bairro Caetano. As agressões foram motivadas porque o suspeito não aceitou o fim do relacionamento com a vítima. A mulher teve cortes no braço esquerdo e no pescoço, mas passa bem. O marido fugiu do local e não foi localizado.

Mulher é atacada com facão por ficar em silêncio durante briga com marido1De acordo com informações da Polícia Civil, o casal começou a discutir pela durante a manhã de quara  porque a mulher pediu a separação. O marido então saiu de casa e, ao retornar horas depois, iniciou uma nova discussão. Inconformado porque a esposa se manteve em silêncio durante a discussão, ele pegou um facão e passou a atacá-la.

Os filhos do casal, de 6 e 10 anos, ficaram na frente da mãe para protegê-la e pediram para que o pai parasse com as agressões. O homem disse aos filhos que iriar matar a esposa. A mulher conseguiu sair da casa e pediu ajuda na residência de uma vizinha. A vítima foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada ao pronto socorro do Hospital Regional de Guajará-Mirim.
Após receber cuidados médicos, a mulher foi levada pela PM até a delegacia de Polícia Civil para registrar a ocorrência.

Ao G1, o delegado regional, Milton Santana, informou que os policiais realizaram buscas nas proximidades na tentativa de localizar o suspeito, mas não tiveram êxito. “Após o registro do boletim, a vítima foi encaminhada para fazer o exame de corpo de delito para comprovar as lesões. Ela foi intimada e orientada a prestar depoimento na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) para narrar os fatos. A delegada titular vai instaurar um procedimento para apurar o que foi denunciado no boletim”, explicou Milton.