Macaco achado acorrentado ganha mãe de pelúcia: ‘vai viver’, diz soldado

Macaco achado acorrentado ganha mãe de pelúcia: ‘vai viver’, diz soldado

O macaco que foi encontrado acorrentado há 12 dias dentro de uma casa não corre mais risco de morrer. Segundo a Polícia Ambiental, que realizou o resgate em Porto Velho, o mamífero de aproximadamente dois meses foi achado deitado em um lençol com bastante dificuldade para se movimentar. Após ser retirado do local, o animal, que ainda não recebeu um nome, foi levado para Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) e desde então recebe acompanhamento especial de veterinários e biólogos. “Vai viver”, diz soldado.

Para que o macaquinho não sinta falta da mãe, os profisionais do Cetas deram um brinquedo de pelúcia. Durante todo o dia, o mamífero brinca e abraça a “mãe de pelúcia” na gaiola onde está sendo monitorado. Segundo o soldado da Polícia Ambiental Valdinei Teixeira, o macaco tem reagido bem ao tratamento e dentro de alguns meses poderá voltar ao habitat natural.

Filhote de macaco foi encontrado acorrentado em Porto Velho (Foto: Matheus Henrique/ G1)Filhote de macaco foi encontrado acorrentado
em Porto Velho (Foto: Matheus Henrique/ G1)

“Ele vai sobreviver. Há 12 dias ele estava em um lugar sem condição nenhuma de sobrevivência, mas agora com os cuidados de profissionais e uma alimentação certa vai recuperar os instintos da natureza e voltar para seu habitat. Como ele não tem um contato tão doméstico, quando estiver com um porte grande suas chances serão maiores”, disse

Desde que foi resgatado, o animal recebe uma alimentação a base de frutas. Se o tratamento ocorrer como o esperado, o macaco deve ser devolvido à natureza depois de três meses.

Resgate
Segundo o policial Tiago Sampaio, que participou do resgate, uma guarnição foi até a região para verificar uma denúncia de queimada e desmate. Ao entrar na propriedade, viram os animais em uma casa coberta de palha.

“Nós fomos para ver uma situação de crime ambiental, quando nos deparamos com o filhote de macaco e o curió. Lá também tinha várias armadilhas. Ele ficava acorrentado em uma casinha de madeira”, disse.

De acordo com a Polícia Ambiental, um adolescente de 16 anos foi detido no local onde estava o macaco. Ele disse à polícia que estava prestando serviços para o dono do imóvel.

Extinção
Segundo o biólogo Flávio Terassini, o macaco conhecido popularmente como Barrigudo está correndo risco de ser extinto da Amazônia, por causa dos desmatamentos. Ele acredita que o animal tenha apenas dois meses de vida e está bastante debilitado.

Polícia encontrou várias armadilhas para capturar animais no local (Foto: Matheus Henrique/G1)Polícia encontrou várias armadilhas para capturar animais no local (Foto: Matheus Henrique/G1)

Comentários