Jaru: Índice de umidade relativa do ar poderá atingir estado de atenção nesta próxima sexta feira

Jaru: Índice de umidade relativa do ar poderá atingir estado de atenção nesta próxima sexta feira

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), índices de umidade relativa do ar inferiores a 60% não são adequados para a saúde humana, porém vem se registando no município, mínimas bem inferiores; como desta terça feira que é esperado 37%, na quarta feira 35%, na quinta 36% e sexta feira, o dia mais quente da semana onde os termômetros poderão atingir a temperatura máxima de 36°C, o índice de umidade relativa do ar, será de apenas 23%, o que segundo escala psicrométrica, classificação dada pelo Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), é considerado estado de criticidade ou de atenção, estabelecido para esta classificação, os índices variantes de 21% a 31%.

A Agência Espacial Americana (Nasa), em boletim divulgado recentemente prevê para a região amazônica durante o mês de julho e agosto uma das mais intensas temporadas de seca de sua história. Segundo o boletim a estiagem é reflexo do fenômeno El Niño que se formou no ano passado.

De acordo com o técnico do Sipam, Luiz Alvez, da Divisão de Meteorologia, a baixa umidade do ar e a escassez de chuva são normais para esta época do ano, uma vez que o Estado de Rondônia passa a sofrer influência de uma grande massa de ar quente e seco, que predomina sobre toda a porção central do Brasil neste período”, explica.

A previsão de chuvas para esta região é para final de agosto e início de setembro, o que poderá agravar os efeitos na saúde da população.

O clima não é o único responsável pela umidade baixa e consequentemente problemas respiratórios ocasionados principalmente pelo excesso de fumaça. A temporada de queimadas costuma começar em julho e é justamente nesse período que se registram os picos de desmatamento. A principal causa das queimadas é o uso irregular do fogo na produção agropecuária nas zonas rurais e as chamadas queimadas urbanas nos perímetros das cidades que por vezes saem do controle.

 

Problemas decorrentes da baixa umidade do ar:

 

Complicações alérgicas e respiratórias devido ao ressecamento de mucosas;

Sangramento pelo nariz;

Ressecamento da pele;

Irritação dos olhos;

Eletricidade estática nas pessoas e em equipamentos eletrônicos;

Aumento do potencial de incêndios em pastagens e florestas.

 

Cuidados a serem tomados:

 

Evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11 e 15 horas;

Umidificar o ambiente através de vaporizadores, toalhas molhadas, recipientes com água, molhamento de jardins, etc.;

Sempre que possível permanecer em locais protegidos do sol, em áreas vegetadas, etc.;

Consumir água à vontade.

Comentários