anuncio 1

publicado em: 19 maio 2017 - Redação

Jaru: Depois de ficar 16 anos preso homem atravessa o país com cruz nas costas a fim de provar sua inocência

Jaru: Depois de ficar 16 anos preso homem atravessa o país com cruz nas costas a fim de provar sua inocência

Chegou a Jaru na noite desta quinta feira (18) Paulo Cícero de Lima de 56 anos, ele já caminhou cerca de 2.500 km transportando uma cruz nas costas, em busca de justiça.

Segundo Paulo, sua iniciativa é um protesto que busca mobilização e apoio para reparação de uma injustiça sofrida por ele, ao ficar 16 anos e 70 dias preso por um crime que ele não cometeu. Ele informou caso seu objetivo não seja atingido, pretende transportar a cruz até os Estados Unidos.

Nesta caminhada que teve inicio há 09 meses em Itapevi/SP, ele passou momentos de dificuldade e de muita dor, Paulo relata que caminhou cerca de 600 km sem saber que estava com o pé fraturado.

Em junho de 1993, Paulo foi preso acusado de assassinar uma jovem de 23 anos, em Atibaia interior do estado de São Paulo. Segundo seu relato, motivações passionais levaram o provável assassino à por fim a vida da jovem, ela teria ido morar com outro homem, Paulo disse que apenas passava pelo local e foi indicado a policia pelo próprio assassino como o autor do crime, ele então foi preso e condenado por latrocínio, uma vez que também foi atribuído a ele, o roubo de um pé de cabra e um martelo.

Após sair da cadeia ele disse ter iniciado uma investigação própria, chegou a procurar a família da vítima que esclareceu não reconhecer ele como o assassino da jovem, Paulo informou também ter procurado em vão os tribunais de justiça de São Paulo e até o Supremo Tribunal de Justiça em Brasília, na tentativa da reabertura de seu processo para provar sua inocência.

Em meio ao fracasso de sua investigação, ele teve um sonho onde se via carregando uma cruz, foi quando decidiu iniciar sua jornada em 16 de agosto de 2016. Ele também relatou esperar que aconteça algo em Porto Velho, pois em um de seus sonhos foi lhe dito o nome desta cidade.

Questionado sobre em que lhe beneficiaria esta longa caminhada, seu Paulo respondeu que já esta surtindo resultados, a imprensa e sociedade esta lhe ouvindo e apoiando, dois advogados do Mato Grosso também teriam se prontificado a ajuda-lo e já estão trabalhando no caso.

“Quero que a justiça reconheça que não matei ninguém, só encerrarei minha caminhada quando isto acontecer, quero a punição dos responsáveis por esta injustiça”, declarou.

Paulo chegou por volta das 23:00h no primeiro posto da entrada de Jaru e pretende seguir em direção a Porto Velho ainda nesta sexta feira (19), ele percorre em media 40 a 50 km por dia. Seu Paulo dorme no chão, até mesmo na beira da estrada, sua alimentação provem de doações, neste quesito ele destacou que a população rondoniense tem sido generosa e receptiva.

 

 

.

.

.

.

.

.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE