Imperatriz Dona Leopoldina decide não substituir rainha de bateria morta

Imperatriz Dona Leopoldina decide não substituir rainha de bateria morta

A bateria da Imperatriz Dona Leopoldina vai cruzar a avenida em Porto Alegre sem uma rainha. De acordo com representante da escola ao EGO na manhã desta sexta-feira, 17, Paola Serpa, que foi morta a tiros na noite desta quinta-feira, 16, em Cachoeirinha, não vai ter uma substituita.

Segundo a secretária da escola de samba, Helenira Lopes, “a Imperatriz decidiu não colocar outra pessoa no posto e o presidente Victor Hugo Amaro vai respeitar a memória de Paola”. Este seria o primeiro desfile dela como rainha de bateria, que está marcado para o dia 25 de março. Em 2016, Paola, de 33 anos, desfilou como musa da harmonia e ascendeu ao cargo para o Carnaval 2017

Segundo informações do G1, a principal suspeita da polícia é que ela tenha sido vítima de latrocínio, que é o roubo seguido de morte. Mas as investigações ainda estão em fase preliminar.

Foto de perfil da página da Imperatriz Dona Leopoldina no Facebook (Foto: Reprodução/Facebook)
Foto de perfil da página da Imperatriz Dona Leopoldina
no Facebook (Foto: Reprodução/Facebook)

Velório acontece nesta quinta
Paola tinha 33 anos e e estrearia este ano como rainha da agremiação, que é a atual campeã do carnaval da capital gaúcha. O desfile deste ano Sambódromo do Porto Seco acontece no dia dia 25 de março, depois do carnaval oficial no país. 

Em comunicado divulgado nas redes sociais, a escola decretou luto de três dias e anunciou horário e local do velório, que acontece a partir das 11h desta quinta-feira, 17, no cemitério Parque Memorial da Colina, em Cahoeirinha.

 “O dia amanhaceu cinzento, provavelmente vai chover… Será o céu transmitindo o sentimento de toda família laranja. Nossa Rainha de Bateria Paola Serpa, vítima de um latrocínio, foi tirada de nosso convivio. O final da quinta-feira, dia 16 de fevereiro nunca mais será esquecido pela Família Imperatriz.

Hoje a partir das 11h começa nossa despedida, despedida de uma pessoa incrível, uma mãe de família, uma esposa, uma mulher guerreira. Tudo nela era com muito amor. Informamos que a partir de hoje, nossos surdos serão silenciados pelo período de 3 dias. Nossos mais sinceros sentimentos à família que sempre esteve conosco. Agradecemos a todas as manifestações de carinho com a familia imperatriz e a familia da nossa eterna rainha.”

Paola Serpa, rainha de bateria da Imperatriz Dona Leopoldina, posa com o troféu do carnaval 2016 (Foto: Reprodução/Facebook)
Paola Serpa, rainha de bateria da Imperatriz Dona Leopoldina, posa com o troféu do carnaval 2016 (Foto: Reprodução/Facebook)
Direito das vítimas mulheres violencia domestica