Bianca Toledo diz que filho está se reaproximando do pai: ‘Muito feliz’

Bianca Toledo diz que filho está se reaproximando do pai: ‘Muito feliz’

Bianca Toledo voltou a postar mensagem em vídeo para falar do suposto abuso sofrido por seu filho de 5 anos nesta segunda-feira, 18. No vídeo – em que mostra o menino ao fundo, lendo passagens da Bíblia em quadrinhos – a pastora,que acusa o ex-marido, o também pastor Felipe Heiderich, de pedofilia, se emocioana muito, chora, e faz um grande desabafo. Ela se desculpa com os seguidores por estar um pouco afastada das pregações e diz: “Neste momento, eu que estou precisando das orações de vocês”.

“Estou feliz por um motivo especial”
Bianca também afirma que o menino está bem, que não foi machucado e que “nem entende ainda” o que aconteceu. Mas o momento que mais chama atenção no vídeo é quando Bianca comemora a reaproximação com o pai do menino, Renato Pimentel. “Estou feliz por um motivo especial. Há um tempo eu não tinha contato com o pai do meu filho. Uma pessoa que fez parte da minha história, quen cuidou de mim naquele hospital (referindo-se ao período que ficou em coma). Depois que me casei tivemos diversos atritos… Mas depois do que ocorreu, ele me ligou e consegui fazer o que sempre quis: aproximar ele do meu filho. Hoje eles vão passar a tarde juntos e eu estou feliz poorque sempre achei que isso tinha que acontecer”.

Pastor se defende de acusações
Na quarta-feira, 13, o pastor Felipe Heiderich usou as redes sociais para se defender das acusações de que teria cometido abuso sexual ao enteado. Em liberdade, após a Justiça revogar sua prisão, ele gravou um vídeo para apresentar sua versão sobre a polêmicae explicou o motivo da demora sobre qualquer manifestação sobre o assunto.

“Precisava me recuperar um pouco. Sempre achei que todo mundo era inocente, até que se provasse o contrário. Mas o que vivi nesses últimos dias e semanas é que todos são culpados até que se prove o contrário. Assim como vocês, fiquei em choque com tudo o que foi dito a meu respeito e todas as acusações”, iniciou ele, que apareceu nas imagens com o cabelo raspado e com a voz embargada.

“Até dia 12, eu estava em família, feliz, ministrando na igreja com a criança que mais amei nessa vida, que ajudei a criar com minha esposa. E, no dia 14, sou comunicado por ela que ela havia descoberto que sou homossexual e pedófilo. Ela pegou, saiu de casa com meu filho e ali começaram os piores dias da minha vida”, continuou Felipe, que ainda afirmou ter sido fraco, não sabendo lidar com a situação.

“Não sei quem em sã consciência saberia lidar com o choque de saber que a criança que eu amo estava sendo abusada por alguém. Isso pra mim já seria o suficiente para… Não sei como reagir. Segundo: essa pessoa ser você. Chorei muito nesse dia, li a Bíblia”.

Declaração do Pr Felipe Heiderich sobre as acusações. (Foto: Reprodução / Youtube)
Felipe Heiderich se defende das acusações
(Foto: Reprodução / Youtube)

“Justiça não quis ouvir o meu lado”
No vídeo, o pastor também falou sobre a prisão. “Fiquei em um apartamento e, na sexta-feira seguinte, descobri que havia um mandado de prisão contra mim por pedofilia. A Justiça também não quis ouvir o meu lado e decretou a minha prisão imediata. Lá na roça, a gente aprende que quem não deve não teme. Então, na segunda-feira de manhã cedo, fui à delegacia prestar depoimento e me colocar à disposição da Justiça”.

“Dei a minha versão, expliquei tudo. Tenho muito questionamentos como vocês. Peguei meu computador, coloquei à disposição da Justiça com todas as minhas senhas e falei: ‘Investiga a minha vida porque, se os membros da minha igreja nunca viram nada, nunca viram nenhum sinal, se as pessoas que viajam comigo nunca viram nada, investiga'”.

“Fui preso e meu rosto rodou o mundo como pedófilo. Fui acusado, julgado, sentenciado. Gritavam meu nome na rua: morre! Sofri as penalidades na prisão. Mas, como o Senhor foi com José do Egito, quando ele também foi preso por tentativa de estupro – porque essa foi a acusação que o colocou na cadeia. A esposa de Potifar disse que ele tentou estuprá-la – o Senhor deu graça a José na prisão, ele deu a mim também”.

“No meu último dia na prisão, todos os dias foram feitos cultos lá. No último dia, fui aplaudido pelos presidiários e pelos policiais. Só existe um laudo oficial sobre o abuso do José. Esse laudo diz que sou inocente. Se eu não acreditar que Deus, que conhece a verdade, não trará a verdade à tona, não me defenderá, não me protegerá, significa que tudo o que preguei foi em vão. Esse não é o momento para eu acusar ninguém. É o momento para eu dizer pra você: Jesus é muito mais do que os homens falam dele. Jesus é muito mais amor, muito mais graça. E muito mais perdão. E ele também é justiça”.

Comentários