Autoescolas têm até 31 de março para adquirir simulador veicular em RO

Autoescolas têm até 31 de março para adquirir simulador veicular em RO

Os 180 Centros de Formação de Condutores (CFCs) de Rondônia terão até 31 de março para comprarem o simulador veicular exigido pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Na última quinta-feira (21), o Departamento Nacional de Trânsito de Rondônia (Detran-RO), prorrogou o prazo para que as autoescolas comprem e instalem os simuladores.

De acordo com a presidente do Sindicato das Auto e Moto Escolas do Estado de Rondônia (Sindar), Solange Barros, a portaria que exige quantos simuladores serão necessários por cada autoescola ainda não foi publicada. “Estamos aguardando a publicação sobre a normalização, de quantos simuladores cada CFC precisa ter e se poderá ou não ser compartilhado”, explicou Solange.

Segundo o advogado do Sindar, Hiram Castiel, assim que a portaria sair, o sindicato auxiliará as autoescolas a se organizarem mediante a situação. “Enquanto não sai, estamos verificando as empresas que fornecem o simulador, sendo que são somente seis para o país inteiro. Temos que vê o frete e verificar qual delas vende mais em conta, já que cada simulador custa em média R$ 40 mil”, afirmou Castiel.

Simulador da Motion Drive mostra como atuam as forças aplicadas sobre um piloto durante uma corrida. (Foto: Reprodução/YouTube)Simulador da Motion Drive mostra como atuam as
forças aplicadas sobre um piloto durante uma
corrida. (Foto: Reprodução/YouTube)

A decisão para os simuladores nas autoescolas foi publicada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), através da Resolução nº 543, em 15 de julho de 2015, que estabelece obrigatório o uso nas autoescolas de todo o Brasil.

No estado de Rondônia existem 180 autoescolas, segundo o Detran.  E, caso a empresa não se adapte o Sistema Nacional de Habilitação (Serpro), poderá ser bloqueada automaticamente para a emissão de carteiras de habilitação.

O simulador veicular será exigido apenas para a categoria B e, de acordo com a resolução, cada aluno precisará ter no mínimo 5h de aulas noturnas no aparelho.

O empresário Edmilson Araujo, que possui um Centro de Formação de Condutores há 20 anos, não sabe como irá se adequar a nova norma. “Vim de Ji-Paraná (RO) para saber como vai ficar nossa situação. Estou no aguardo da portaria do Detran”, disse Edmilson.

De acordo com o Diretor Técnico de Habilitação e Medicina do Trânsito do Detran, Acássio Figueira, as autoescolas podem compartilhar do mesmo simulador, sem necessariamente cada um ter o próprio equipamento. “O Detran de Rondônia permite que as CFCs compartilhe um mesmo simulador veicular, sendo que a empresa que fabrica o aparelho cobrará somente o aluguel por hora do aparelho”, explicou Figueira.

Acássio acredita que as aulas no simulador podem ajudar na qualidade do ensino. “No simulador o aluno pode ter uma noção melhor do trânsito, além do mais, lá ele pode errar. Porém esse erro não pode se repetir na rua”, observou.