Americana consegue financiamento coletivo para remover tatuagem da testa

Americana consegue financiamento coletivo para remover tatuagem da testa

Tabitha West, uma americana que tatuou o código “420” na testa, abriu uma arrecadação de doações em um site de financiamento coletivo para remover o desenho que fez quando era “jovem e estúpida”, como ela mesma se descreveu. O número é famoso por supostamente ser o código que a polícia dos Estados Unidos usa para identificar o porte de cannabis – gênero de planta do qual a maconha faz parte –, mas essa informação é incorreta.

Na verdade, o termo foi criado por um grupo de usuários de maconha em uma escola na Califórnia em 1971. O número “420” era uma referência ao horário em que eles se reuniam para fumar perto de uma estátua no campus do colégio, quando normalmente ninguém aparecia para importuná-los. Eles então passaram a usar a indicação de tempo como código para o ato de consumir maconha, podendo falar sobre o assunto na frente de outras pessoas sem que elas entendessem o teor da conversa.

O termo se popularizou, mas a história foi se modificando ao longo do tempo até a versão mais conhecida hoje, que é o código policial. Tabitha, querendo deixar bem claro que era usuária de maconha e tinha orgulho disso, resolveu registrar o número na testa, mas hoje não consegue arrumar emprego em lugar algum e diz que já considerou até mesmo cometer suicídio por causa do impacto do desenho em sua vida.

Tabitha West, dois anos após ter feito a tatuagem com o código “420” na testa – Imagem: GoFundMe

O valor pedido por Tabitha, US$ 800 (cerca de R$ 3,2 mil) foi atingido em apenas dois dias. No entanto, o próprio irmão dela, David, postou um comentário na página de arrecadação que ela lançou no GoFundMe, pedindo para que ela tirasse o pedido de financiamento do ar. Ele afirma que o site em questão foi feito para ajudar pessoas com problemas de saúde ou que perderam suas casas por conta de incêndios ou motivos parecidos, e não para consertar uma decisão ruim na vida como a que a irmã tomou.

David vai ainda mais longe e afirma para quem estiver lendo o comentário que Tabitha tem deficiência mental e não deve ser levada a sério. Outra pessoa que visualizou os diversos perfis no Facebook que a garota com a tatuagem na testa mantém e, aparentemente, essa não é a primeira vez que ela pede – e consegue – dinheiro para remover a tatuagem. Após atingir a meta de financiamento, Tabitha atualizou a página da campanha dizendo que aqueles que não ficaram felizes por ela poderiam “ir se ferrar”.