Advogado confirma que suspeita de homicídio está grávida do ex da vítima

Advogado confirma que suspeita de homicídio está grávida do ex da vítima

Advogado confirma que suspeita de homicídio está grávida do ex da vítima

O advogado de Tailane Neris Feliciano, suspeita de ter assassinado uma adolescente a facadas e terçadadas, confirmou que sua cliente está grávida do ex-namorado da vítima. Segundo Francisco Sávio Araújo Figueiredo, a suspeita está no quarto mês de gestação. Conforme investigações da Polícia Civil, Tailane matou Jéssica da Silva, de 15 anos, por ciúmes. O crime foi em outubro do ano passado em Guajará-Mirim (RO). Tailane se entregou à Justiça no último dia 26 de janeiro.

Ao G1, o advogado disse que foi contratado na terça-feira (2) para assumir o caso e fazer a defesa de Tailane durante o processo. A suspeita prestou depoimento na manhã de quarta-feira (3) e alegou que na data do crime ela já estava grávida do ex-marido, César Castro, mesmo estando separada.

“Após o homicídio, Tailane e César não tiveram mais contato. O pai da criança é ele, que inclusive que já tem uma filha de quatro anos de idade com minha cliente. Ela quer que ele arque com a responsabilidade perante os dois filhos e nós vamos buscar isso legalmente. Um ginecologista vai fazer o acompanhamento para avaliar as condições dela e da criança”, comentou o advogado.

Araújo também contou que vai entrar com o pedido de revogação da prisão preventiva e que Tailane está arrependida do crime. “Quando ela foi morar com ele, tinha apenas 12 anos e o relacionamento durou oito anos. Ela sabe as consequências e está muito arrependida, acabou agindo no impulso e foi levada por uma violenta emoção. As condições dela são especiais e pode sofrer maiores danos do que já acumulou. A vítima foi o dano maior e a única pessoa que poderia ter evitado tudo isso, nada fez”, concluiu.

Adolescente foi morta no cruzamento entre avenidas (Foto: Reprodução/Facebook)Adolescente foi morta no cruzamento entre avenidas (Foto: Reprodução/Facebook)

Na época, a publicaçação em uma rede social mostrava que a suspeita já havia ameaçado Jéssica de morte.

Jéssica da Silva foi morta a facadas e terçadas (Foto: Arquivo Pessoal)Jéssica da Silva foi morta a facadas e terçadadas
(Foto: Arquivo Pessoal)

Crime
Jéssica foi morta com vários golpes de faca e terçado no dia 6 de outubro de 2015, dentro de um carro no cruzamento das Avenidas Bandeirantes e Marechal Deodoro, no Bairro Próspero, em Guajará-Mirim. De acordo com as investigações da Polícia Civil, o crime foi cometido pela ex-mulher do namorado da vítima e outra suspeita identificada como Patrícia Lembranzi, que segue foragida da Justiça.

Na época do crime, o delegado Sérgio Seizo Toma disse ao G1 que as duas suspeitas foram indiciadas por homicídio duplamente qualificado consumado. Somente a ex-esposa de César vai responder por tentativa de homicídio contra ele. De acordo com o laudo do médico legista da Polícia Civil, a jovem recebeu mais de dez facadas no corpo e várias terçadadas na cabeça. A morte foi causada pela facada que perfurou o coração.

“O homicídio duplamente qualificado é aquele por motivo torpe e com recurso que dificultou a defesa da vítima. Ela não teria chances de sobreviver porque foram muitos golpes. Isso agrava ainda mais a ação praticada pelas suspeitas”, diz o delegado.

 

César Castro fois golpeado no braço (Foto: Júnior Freitas/G1)César Castro, ex-namorado da vítima, prestou
depoimento na quarta, 3 (Foto: Júnior Freitas/G1)

Depoimento do ex-namorado
Em entrevista ao G1 nesta quinta-feira (4), o delegado regional de Polícia Civil, Milton Santana, informou que César Castro prestou depoimento na tarde de quarta-feira (3) e declarou que não tinha conhecimento da gravidez de Tailane. Ele ficou sabendo durante uma conversa com a mãe dela.

“Ouvi as duas partes e a Tailane contou a versão dela. Já o César foi ouvido pela segunda vez. Ela disse não lembrar quantos golpes deu na vítima e que agiu em legítima defesa. César negou a versão dela e continuou dizendo que as duas (Tailane e Patrícia) estavam armadas com uma faca e um terçado. Vão responder por homicídio qualificado. A Patrícia vai ser presa, é só questão de tempo”, diz.